Tamanho do texto

O casal gay estava em uma festa quando decidiu pegar um Uber para voltar para casa; eles contam que foram expulsos do carro por motorista

Um casal gay dos Estados Unidos diz que um motorista do Uber os expulsou do veículo no meio de uma avenida porque eles deram um pequeno beijo durante o trajeto. Randall Magill, de 28 anos, e Jose Chavez, de 26 anos, que recentemente ficaram noivos na República Dominicana, disseram que estavam bebendo em uma festa e decidiram chamar um Uber para ir embora.

Leia também: 73% dos LGBT brasileiros já testemunharam homofobia no trabalho; veja

O casal gay estava em uma festa quando decidiu pegar um Uber para voltar para casa
Reprodução/Facebook/Randall S Magill
O casal gay estava em uma festa quando decidiu pegar um Uber para voltar para casa

Estava tudo bem no trajeto até que o casal gay decidiu se beijar.  "Eu não estava fazendo nada que eu não teria feito em público. Eu não vou envergonhar a mim ou ao meu noivo de qualquer maneira”, disse Randall ao canal de TV “Click 2 Houston”. "Eu nunca ouvi falar de alguém que teve de parar de beijar em qualquer lugar, especialmente quando são apenas alguns selinhos".

De acordo com Randall, o motorista disse que já havia pedido a um casal heteresossexual para não se beijar enquanto estivessem no carro, mas ele e seu parceiro afirmam que não acreditam nisso.  "Eu estava chateado. Nunca me disseram que eu não poderia dar um beijo ou algo do tipo", disse Jose.

O casal foi deixado no meio de uma rodovia, teve de andar de baixo de uma ponte para o outro lado da Southwest Freeway e chamar outro Uber para conseguir chegar em casa.

Leia também: Escola é acusada de homofobia ao censurar alunos gays em anuário

"Nunca havia tido uma experiência ruim com Uber e nunca mais os usarei", disse Magill. "Eu estava super desapontado. Todo mundo com quem já passei foi muito legal, muito respeitoso. Mesmo os que eu conseguia perceber que não estavam tão confortáveis ​​em nos levar eram muito respeitosos ."

Uber

A empresa diz que tem uma clara política de não discriminação: “A Uber e suas afiliadas, portanto, proíbem a discriminação contra passageiros ou motoristas com base em raça, religião, origem nacional, deficiência, orientação sexual, sexo, estado civil, identidade de gênero, idade ou qualquer outra característica protegida pela lei federal ou estadual aplicável. Essa discriminação inclui, mas não se limita a, recusar-se a fornecer ou aceitar serviços com base em qualquer uma dessas características. Qualquer piloto ou motorista que tenha violado essa proibição perderá acesso à plataforma Uber”.

Leia também: Casal de lésbicas alega ter sofrido homofobia em padaria de SP

Além disso, um representante da Uber disse que, assim como o casal gay, o motorista também relatou o incidente e que a empresa está investigando.