Tamanho do texto

Calendário foi produzido por remadores de uma universidade inglesa para ajudar uma instituição LGBT que combate casos de homofobia no esporte

Todos os anos, remadores da Universidade de Warwick, na Inglaterra, tiram a roupa para fotos de um calendário que arrecada dinheiro por uma causa social. Nesta edição, os “Warwick Rowers” , como são conhecidos publicamente, estão vendendo o seu produto para arrecadar dinheiro para uma instituição de caridade LGBT, o que fez com que eles ganhassem milhares de fãs em todo o mundo, mas também com que os calendários fossem rejeitados pela alfândega russa e enviados de volta para a Grã-Bretanha.

Leia também: Escola é acusada de homofobia ao censurar alunos gays em anuário

Calendário com homens nus foi banido na Rússia por ajudar instituição de caridade LGBT
Reprodução/Facebook/The Warwick Rowers Calendar
Calendário com homens nus foi banido na Rússia por ajudar instituição de caridade LGBT

Isso aconteceu porque, em 2013, a Rússia criou uma lei que proíbe a promoção da homossexualidade. Com isso, não é permitido fazer marchas de orgulho LGBT ou vincular qualquer produto que lembre questões LGBT, incluindo o calendário feito pelos esportistas que irão doar o dinheiro para a Sport Allies, uma instituição que combate a homofobia no esporte. Além disso, hackers russos fizeram um ataque cibernético ao site do Warwick Rowers, derrubando-o temporariamente.

Leia também: Estudante gay faz protesto contra homofobia durante formatura no ITA

Homofobia

O fundador da Warwick Rowers e militante dos direitos LGBT, Angus Malcolm, condenou a rejeição russa à tentativa de caridade. "Meu coração está com os fãs russos dos Rowers, que estão cada vez mais sujeitos a atos de ódio e discriminação que não devem ser tolerados em qualquer sociedade ao redor do mundo”, afirmou Angus ao “Pink News”.

"A homofobia é uma parte central disso, e agora estamos vendo os torcedores LGBT serem aconselhados a evitar manifestações de carinho na Copa do Mundo no ano que vem. Com a ascensão da marca de populismo de Putin ao redor do mundo, mais do que nunca precisamos de aliados heterossexuais, como os Warwick Rowers".

Leia também: Peça teatral LGBT "Bruta Flor" volta à cartaz em São Paulo 

"O fato de a alfândega russa rejeitar o nosso calendário não é nada em comparação com o sofrimento que algumas pessoas LGBT enfrentam todos os dias, mas mostra como o problema é mais amplo", disse Angus. "Se eles não conseguem lidar com alguns homens nus, então, francamente, isso é muito triste. Putin está promovendo o tipo de masculinidade tóxica que a Sport Allies e os Warwick Rowers querem desafiar”.