Para os pesquisadores, o aplicativo de inteligência artificial é totalmente confiável, pois as diferenças nos níveis hormonais geram diferenças na face

Um algoritmo de computador pode dizer se uma pessoa é gay simplesmente digitalizando uma foto de rosto dela. Isso é o que garantem pesquisadores que desenvolveram um software de inteligência artificial na Universidade de Stanford, nos Estados Unidos.

Leia também: Mito do "gaydar" é mais prejudicial do que as pessoas imaginam, aponta estudo

Aplicativo promete identificar se uma pessoa é gay através de uma foto de rosto
shutterstock
Aplicativo promete identificar se uma pessoa é gay através de uma foto de rosto


O software pode prever a sexualidade de uma pessoa com muita precisão através de uma simples foto de rosto . Pois é, parece que um aplicativo “gaydar” não está tão longe da realidade, mas será que isso é mesmo confiável? Segundo informações do portal britânico “The Telegraph”, esse estudo tem implicações potencialmente problemáticas para a privacidade e a segurança dos cidadãos.

Em todo o mundo, inclusive em países com registros de direitos humanos questionáveis, a polícia está utilizando cada vez mais a tecnologia para o reconhecimento facial e, assim, monitorar as multidões. Porém, a combinação de câmeras de monitoramento com um algoritmo que “detecta” a sexualidade pode ter consequências preocupantes em estados onde a homossexualidade é proibida.

Relação com níveis homonais

De acordo com os pesquisadores, o algoritmo é capaz de dizer se um homem é gay ou se uma mulher é lésbica utilizando apenas uma imagem. Nos testes, foram utilizadas 36.630 fotos masculinas e 38.593 femininas encontras em perfis de sites de relacionamento gays e heterossexuais. O algoritmo detectou diferenças sutis nas estruturas faciais que os seres humanos são incapazes de identificar.

Leia também: Site americano tem 20 dicas para a mulher detectar se o homem  é gay

As diferenças podem estar relacionadas ao nível de hormônios, como a testosterona, os quais os fetos estão expostos no útero e que podem determinar a sexualidade, afirmam os pesquisadores em entrevista ao “The Economist”, mais um portal que noticiou o desenvolvimento do software.

Segurança ou invação de privacidade? 

A tecnologia de reconhecimento facial está se tornando cada vez mais rápida, confiável e precisa. Inclusive, está sendo incluida nos últimos smartphones como um recurso de segurança e também está sendo empregada pelos governos como uma alternativa para combater a criminalidade.

A Polícia Metropolitana de Londres usou a tecnologia de reconhecimento facial durante o carnaval de Notting Hill nos últimos dois anos, entretanto foi obtido sucesso limitado no monitoramento. Esse tipo de tecnologia pode, sim, ajudar na segurança, mas qual a finalidade de identificar se uma pessoa é ou não homossexual?

A homossexualidade é ilegal em dezenas de países, e os crimes de ódio contra pessoas gays, lésbicas, bisexuais e transgêneros no Reino Unido dispararam nos últimos anos, de modo que a tecnologia poderia colocar os homossexuais em risco.

Leia também: Cinco coisas que não te fazem ser menos bissexual ou queer

Mesmo garantindo que será algo confiável, os pesquisadores acabaram descobrindo que o programa de computador era menos confiável no mundo real, quando não usaram uma foto de rosto tirada de sites de relacionamento para as análises. Isso significa que ainda será preciso muitos testes para provar que os traços do rosto de uma pessoa pode indica a sexualidade dela.

    Leia tudo sobre: aplicativo
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.