O crossdresser faz shows em que dubla músicas da Hebe e a representa

É só começar a conversar com Jaime Braz Tarallo que já percebemos a ternura em sua voz. Ele é crossdresser há 10 anos e há sete criou a festa “Noite Rainha Cross”, em que crossdressers - aqueles que utilizam roupas atribuídas a pessoas do sexo oposto - se reúnem para se divertir e badalar. Há três anos, Jaime começou a se montar como Hebe Camargo e a ser chamadao de Lizz Camargo .

Leia também: "Foi difícil me aceitar como uma mulher transexual", revela Viviany Beleboni

O crossdresser Jaime começou a se montar como Hebe há três anos
Reprodução/Facebook/Lizz Camargo
O crossdresser Jaime começou a se montar como Hebe há três anos

Ao contrário do que se possa imaginar, fazer crossdresser da Hebe Camargo não foi proposital. Tudo começou quando Jaime foi se maquiar e o profissional fez uma make diferente. “Eu me olhei no espelho e não me reconheci. Ninguém me reconheceu na minha festa e começaram a me chamar de Hebe”, afirma Jaime em um papo com o iGay. “Achei que fosse uma brincadeira, mas dois dias depois já estavam falando sobre mim na internet como o cover oficial da Hebe Camargo”.

Mas Jaime gostou da ideia e começou a se apresentar publicamente como a Hebe. Durante o show, ele faz dublagens de músicas e entrevista as pessoas como se estivesse no famoso programa que era apresentado pela Hebe. Para representar bem o papel é preciso muito treino e preparação. “Eu vejo vídeos dela para aprender a imitar os trejeitos, procuro sempre manter a mesma ternura que ela tinha com as pessoas”. 

Leia também: "Estou renascendo das cinzas, como uma fênix", conta a drag Paulette Pink

Também é preciso tempo e paciência para deixar o Jaime e encarnar a icônica apresentadora. Ele leva duas horas para se montar - apenas a maquiagem demora aproximadamente uma hora e meia e ele sempre conta com um maquiador profissional para fazer o trabalho. 

Os figurinos também são escolhidos com muito cuidado para serem iguais aos que a Hebe utilizava. “Eu preciso usar o sutiã certo e utilizo bijuterias bem parecidas”.

Noite Rainha Cross

Antes de virar a apresentadora, Jaime já era conhecido no universo cross por ter criado uma festa que também é ícone. Ele conta que se sentia incomodado com a falta de contato entre crossdressers presencialmente, e então decidiu criou o evento “Noite Rainha Cross”. “O objetivo é que todos tenham uma interação social ao vivo e sem o apelo sexual que são atribuídos a pessoas crossdressers”, explica Jaime.

Leia também: Parada SP é movimento contra o preconceito que celebra orgulho de ser LGBT

O evento ocorre uma vez por mês e dura uma média de seis horas. A próxima edição será no dia 23 de junho e terá o tema “Noite da Rainha”, mas os convidados não são obrigados a se vestir de acordo com o tema. Para quem quiser se arrumar na festa como crossdresser, será oferecido um serviço de camarim para que as pessoas sejam montadas e possam alugar perucas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.