Shaza Ismail e Maria Jimena Montero foram detidas no centro de detenção da Turquia porque o pai de Shaza ainda roubou os documentos das duas

Shaza Ismail é uma jovem que foi enganada pelo próprio pai até ser presa apenas porque é lésbica. O homem inventou que a mãe de Shaza estava morrendo para que a filha, que mora no Reino Unido, voltasse para Dubai, onde eles moram. Ela e a namorada, Maria Jimena Rico Montero, acabaram presas em um centro de detenção na Turquia já que o pai de Shaza, além de mentir sobre a saúde da esposa, ainda roubou o visto da filha e os passaportes do casal.

Leia também: Juntas há quatro anos, lésbicas têm filhos com três semanas de diferença

Shaza e Maria tentaram fugir quando descobriram que o pai de Shaza, que é contra ela ser lésbica, as tinha enganado
Reprodução/Tamara Romero/Facebook
Shaza e Maria tentaram fugir quando descobriram que o pai de Shaza, que é contra ela ser lésbica, as tinha enganado


Quando as duas descobriram que a mãe estava bem de saúde, tentaram voltar para Londres. Elas imaginaram que podiam estar sendo enganadas propositalmente, mas, segundo reportagem do “Daily Mail”, foram barradas por não estarem com os documentos necessários. Outro ponto importante da história é que em Dubai, lugar para onde o pai queria mandar a filha lésbica e sua namorada, ser homossexual é proibido.

Leia também: Qual é a importância de se assumir gay, lésbica ou bissexual publicamente?

Após ambas as famílias ficarem sem notícias das meninas, a polícia espanhola descobriu que elas estavam presas no centro de dentenção turco. Felizmente, as duas conseguiram ser liberadas e neste sábado (29) já estavam no aeroporto de Barcelona. 

Segundo reportagem do jornal "El Mundo", elas passam bem e seguem para Málaga, onde mora a família de Maria. A jovem afirmou estar psilogicamente e fisicamente cansada.

Entenda o caso

Segundo a família de Maria, o pai de Shaza ainda contou com a ajuda de um advogado para tentar ficar com as jovens em Dubai. Inicialmente, elas ficaram detidas por 10 horas no aeroporto de Georgia. “Ela me disse que se não ligasse até o meio-dia é porque algo teria acontecido. Ela nunca ligou.”

O último contato feito por Maria, antes dela ser liberada, foi realizado no último domingo (23), mas essa semana a polícia espanhola descobriu que elas foram presas pela falta de visto de passaporte e estavam sendo mantidas na Turquia até deportação.

Leia também: 5 ideias de fantasias de casal para lésbicas

A família afirmou ainda que o objetivo do pai de Shaza era manter a filha no Oriente Médio porque ela é lésbica, enquanto Maria seria deportada para o Reino Unido. A irmã da jovem, que nasceu na Argentina, afirmou à TV espanhola que o homem também não sabia do paradeiro do casal e parecia estar muito preocupado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.