Thammy comemora recuperação e ignora dor ou incômodo após mamoplastia: "Nada se compara a 32 anos com peito"

Óculos escuros, visual despojado e sentado no chão. Foi assim o papo de Thammy Miranda com o iG. Cinco meses após a mamoplastia, cirugia plástica para retirar os seios, e ainda em tratamento hormonal, Thammy é um homem satisfeito com o que vê no espelho. "Consigo me ver 100% no meu corpo", afirma.

A mudança de gênero ainda pode gerar confusão, mas ele não se incomoda. Você é a Thammy ou o Thammy? "Na verdade as pessoas estão me perguntando isso. Meu nome não vai mudar. E fui 32 anos a Thammy, é complicado eu chegar agora e falar que quero que todo mundo mude. Sei que não vai ser assim, de imediato. Com o tempo as pessoas vão se acostumando a me tratar de forma masculina, mas não me incomoda ainda ser tratado no feminino", explica.

Thammy comemora recuperação e ignora dor ou incômodo após mamoplastia: 'Nada se compara a 32 anos com peito'
iG / André Giorgi
Thammy comemora recuperação e ignora dor ou incômodo após mamoplastia: 'Nada se compara a 32 anos com peito'

A namorada Andressa Ferreira e os colegas próximos já se acostumaram, mas há quem relute. "Meus amigos, namorada, eles já tratam no masculino. Mas meu pai e minha mãe, sem condições", diz, rindo.

Foi assim o clima da conversa. Thammy explica como se sente com o novo peitoral, dá risada ao revelar que é péssimo em cantar mulheres e não foge de temas como preconceito na televisão.

Liberdade imediata

Thammy fez a operação no dia 9 de dezembro e ainda não apareceu sem camisa em público. Entretanto, ele aprova o resultado. “Meu médico foi muito bom e fez o desenho do peitoral, ficou bem bacana”, comenta. “Eu cheguei lá pedindo a mastectomia (retirada total ou parcial da mama), mas o médico disse que não poderia fazer sem um laudo. O que ele poderia fazer era aliviar a minha dor e fazer a mamoplastia redutora (uma cirurgia plástica que reduz o tamanho dos seios). Como eu tinha pouco peito, deu certo”, explica.

Ele lembra que entre decidir fazer a cirurgia e a operação em si, passou-se apenas um mês. “Quando falei para a minha namorada (Andressa) que queria operar, ela tomou um susto. Ela ficou preocupada comigo, de eu me arrepender um dia. Mas a pessoa que está de fora não entende o que realmente passa dentro de você e o quanto isso incomoda”, conta.

Já recuperado, Thammy comemora. “[A cirurgia] foi bem menos complicada do que pensava. A parte do dreno é chata, incomoda, mas nada se compara a 32 anos com peito. A dor não se compara a conviver com seios”, fala.

E é até complicado explicar como se sente depois da mudança. Thammy demora um pouco a responder, e diz: “A sensação de liberdadede, de ter me livrado de um sexto dedo, algo que não fazia parte do meu corpo, veio logo quando saí da cirurgia. Foi imediata. Não é que me mutilei, nada disso, era algo que não fazia mesmo parte de mim. Quando me vi no espelho foi melhor ainda”.

Feliz, essa é a única mudança que ele pretende fazer no corpo. Ter os órgãos genitais femininos, por exemplo, não é um problema. Thammy até brinca com a questão sexual. “Estou 100% satisfeito. Não faria mais mudança nenhuma. Só faria retirada de útero e ovários se fosse obrigado por conta do tratamento hormonal . Só se fosse uma questão de saúde. Órgãos geniais não incomodam, nenhum pouco. E a cirurgia de troca de sexo ainda não é muito evoluída e só de imaginar que não vai ter mais prazer, para mim não vale a pena. Tem muita testosterona para sair desse corpo e tem que sair por algum lugar”, afirma.

Virado do avesso

Thammy se prepara para lançar uma biografia em setembro, o livro “Nadando Contra a Corrente”, e também está na reta final da montagem de uma peça teatral. No livro ele estará, como diz, virado do avesso. A peça será um monólogo com um pouco de humor e mais revelações. “Vai contar bastidores de televisão e aquelas coisas que a galera tem curiosidade. Tipo algum diretor que me pediu para fazer o teste do sofá, com nome”, antecipa.

Mesmo sendo filho de famoso e tendo crescido sob os holofotes, não é fácil ver a vida exposta. Thammy pensou até em desistir do livro. “Quando comecei, estava bem, mas quando fiz a revisão e tive que ler a minha história ali, não foi bom. Eu não queria mais continuar. Chorei muito. Chorei escrevendo, lendo."

A assessora e a namorada também ajudaram na revisão, mas em alguns momentos elas começaram a questionar fatos passados na vida de Thammy e isso o incomodou. "Elas estavam dando pitaco na minha vida!", reclama. Mas logo ele se redime: "Eu escolhi fazer o livro, então tenho que me calar". 

Thammy também vê um lado positivo com a publicação. “Estou do avesso. E isso também é bacana para as pessoas verem que a gente tem fragilidade e que por mais que eu tente passar uma imagem de que tudo foi leve, não foi. Foi bem pesado”, completa.

Sobram elogios, falta espaço

Thammy ainda diz que uma de suas paixões é atuar. O papel mais recente na televisão foi a policial Jô, de “Salve Jorge”, de Glória Peres. A personagem ganhou espaço na trama e quem não se lembra do momento em que Thammy se disfarçou como a dançarina Lohana para acabar com a quadrilha que traficava mulheres? “Quando a Gloria disse que iria aumentar meu papel e que eu iria virar menina para entrar na investigação, eu falei: ‘Claro. Vou fazer a mulher mais feminina que você já viu na sua vida!’. Desliguei o telefone e comecei a chorar. 'Como vou fazer isso? Faz mais de 10 anos que eu não subo no salto'”, lembra.

“Foi muito louco o primeiro instante. Você senta na cadeira, faz a maquiagem, coloca a peruca e tudo bem, mas na hora que se levanta e olha no espelho... Você vê aquilo que você renegou a vida inteira e, em uma hora e meia, estava de novo igual. Eu passava um mantra na cabeça enquanto estava gravando: ‘isso não é você’”, explica. Assim que o diretor gritava “corta”, Thammy se “desmontava”. “Eu tirava a peruca dentro do set e já vinha um correndo para segurar, colocar no molde para não estragar. Tanto que eu não tenho foto minha, particular, de Lohana. Nem com ninguém do set, nada”, completa.

Por enquanto, ele faz a sua propaganda. “Gosto muito de ser ator e pretendo continuar, é só ter convite. Quem sabe eu não faça um homem agora, correndo na orla. Mas se não quiserem me colocar de homem, pode ser um trans. Um personagem trans assim nunca teve, de mulher que tenha virado homem. Eu falei para a Glória (Peres), já”, fala.

Filhos e casamento

De volta à vida pessoal, Thammy faz o estilo namorador. Ele está com Andressa há um ano e meio e conta que não é de partir para a conquista. “Se depender de mim para pegar mulher, ferrou. Eu não chego em mulher nenhuma. Não parece, mas eu sou muito tímido. As mulheres que eu peguei foram elas que chegaram em mim”, revela.

Feliz no relacionamento, Thammy faz planos de ter filhos no futuro e cogita uma inseminação em Andressa. Mas, por enquanto, ainda não fala em casamento. “A Andressa quer casar na praia, mas a gente precisa se estabilizar primeiro. E falei que a gente só casa depois de morar um ano junto.”

Thammy também sabe muito bem que tipo de homem quer ser. “Tem uns caras que falam para mim: ‘Você nunca vai ser um homem porque você não tem um p...’. Mas esse homem que se resume a um p.. não é o homem que eu quero ser. Me sinto como um homem, mas não o lado escroto do cara, mas sim por querer ter esse corpo”, afirma.

A referência vem da família. “O homem que eu conheço, meu pai e meu avô, são muito educados e sensíveis. É essa referência de homem que eu tenho. Minha mãe sempre foi a rainha da minha casa e a gente vê a mulher exatamente assim, tanto eu como os meus irmãos”, compara.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.