Belmiro Rodrigues Neto tem 23 anos, é assumidamente gay e nasceu e mora em Assis, no interior paulista. Neste Dia das Mães, ele aproveitou para fazer uma homenagem a sua mãe e agradecer pela aceitação

Parece que antes de vir a este mundo eu tive minha prece atendida. Uma oração que rogava por pessoas que me aceitassem e amassem incondicionalmente. Afinal, quantos de nós, sujeitos às dores e provas do mundo, têm tanta sorte como eu? Sabe aquela pessoa que você admira, que faz seus olhos brilharem e se encherem de lágrimas quando pensa no quanto ela significa para você e no quanto você significa para ela? Essa é a relação que eu e minha mãe, Claudia, estabelecemos um com o outro.

SIGA O IGAY NO FACEBOOK

Sempre fui vítima de homofobia. Sofria diversas agressões verbais, como piadas sem graça, "viado", "bicha" e "boiola" apenas por ser quem eu de fato era e sou. Sempre me aceitei e nunca vi isso como uma forma de ferir outras pessoas.

No entanto, a sorte sempre esteve ao meu lado e fui abençoado, agraciado, presenteado com uma família honesta, constituída por indivíduos de coração puro, detentores de um caráter incomparável e que me amam e aceitam muito. Um irmão protetor, um pai atencioso, uma irmã que sempre foi meu chão nos momentos difíceis, uma sobrinha de apenas 8 anos que adora o fato de ter um tio gay e o aconselha sobre rapazes serem bons ou ruins para ele, e claro, uma mãe linda, meiga, toda atenciosa, preocupada e melhor amiga. Sim, eu poderia escrever um texto apenas para adjetivá-la!

Definitivamente, ser mãe é um dom. Poucas o possuem e eu acredito que a minha nasceu pronta. Como diz a comunidade LGBT, entre as mais variadas gírias utilizadas pelos membros que a compõem, dona Claudia samba na cara da sociedade. Ela protege quem ama como uma leoa!

Desde pequeno eu sentia atração por outros garotos e tinha gosto por itens mais comuns ao universo feminino e em momento algum ela demonstrou nojo ou lamento pela personalidade e gostos que eu expressava.

Minha mãe, com uma ternura incalculável, procurou e procurou a boneca para mim, ignorando qualquer preconceito (Belmiro Rodrigues Neto)

Lembram-se da boneca da Mulan da Disney? Aquela que possuía duas versões, uma guerreira e uma com utensílios de maquiagem? Então, eu queria essa última. Minha mãe buscou a boneca até não poder mais. Um dia eu vi uma colega de classe com a boneca que eu desejava em mãos. Minha mãe foi conversar com a mãe da menina para se informar detalhadamente sobre onde poderia adquirir uma para me dar de presente. Esse episódio me marcou muito, pois eu cheguei a ficar doente por causa daquele brinquedo e a minha mãe, com uma ternura materna incalculável, procurou e procurou a boneca para mim, ignorando e esmagando qualquer preconceito que encontrasse pelo caminho.

Minha mãe sempre foi decoradora, vendedora, dona de casa, mãe, amiga e esposa exemplar. Além de todas essas aptidões, ainda sobra tempo para ser chique. Ela se veste como ninguém e constantemente conversamos sobre seus modelitos e ela se preocupa sempre com a minha opinião. Ela me ensinou a sempre respeitar todos os seres humanos pelo que eles são e nunca pelo que têm, valorizando o melhor que cada um carrega dentro de si. Ela me ensinou o que é ser um bom filho através das mais variadas experiências que compartilhamos, fossem elas com sabor de chocolate ou amargas, como a dor da separação no momento em que estive fora do Brasil para concretizar o sonho de um intercâmbio na China.

Eu gostaria de dar um recado às mães de filhos homossexuais: Amem-se! Aceitem-se! Família é tudo! (Belmiro Rodrigues Neto)

Para finalizar, eu gostaria de dar um recado às mães de filhos homossexuais: Amem-se! Aceitem-se! Família é tudo! Há tanta dor, sofrimento, ódio e raiva espalhados neste mundo. Que as mães que ainda sentem dificuldade em aceitar seus próprios filhos possam compreender como o apoio familiar é importante e fundamental. E que os filhos, muitas vezes revoltados e solitários em meio ao medo e insegurança em se assumir, possam ter mais paciência com suas famílias. Eu desejo do fundo mais colorido da minha alma que todo filho tenha uma Claudia como mãe. Porque ser especial como ela não é para qualquer uma. 

Dona Claudia, devo o melhor da minha vida a você! Te amo infinitamente! 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.