Thiago Antonucci cria jogo de construção de corpos e desconstrução de gêneros no trabalho de conclusão de curso de fotografia e levanta discussão sobre transexualidade


Estava na hora de Thiago Antonucci, 23 anos, apresentar o trabalho de fim do curso de Fotografia na Escola Panamericana de Arte e Design. Ele decidiu fotografar corpos masculinos e femininos e desconstruir os gêneros.

A ideia enfrentou uma resistência inicial de seu orientador, mas o fotógrafo insistiu e levou o projeto até o fim. O trabalho #genero #gender foi apresentado em dezembro de 2014 com elogios dos fotógrafos Bob Wolfenson e Arnaldo Pappalardo.

"O trabalho começou com a ideia de usar as formas que alteram o corpo e o transformam em masculino e feminino", diz. Thiago explica que o que o fascinava na nudez era o modo como os genitais masculinos e femininos parecem pertencer a quaisquer corpos. "Uma moça segura um pênis na frente dela e aquilo se encaixa muito bem", explica.

A preocupação de início era a variedade, mostrar muitos tipos de corpos, magro e gordo, da pele branca à morena, do cabelo preto ao loiro

Depois da concepção inicial, começou a procura por modelos que aceitassem posar para o seu projeto. "A preocupação de início era a variedade, mostrar muitos tipos de corpos, magro e gordo, da pele branca à morena, do cabelo preto ao loiro", diz.

O objetivo era fotografar um grupo diversificado e composto por pessoas consideradas "fora do padrão de beleza" da sociedade. No entanto, foram justamente essas pessoas que aceitaram posar, por estarem seguras sobre seus corpos.

Recebi críticas porque as fotos mostravam só homens malhados, mulheres magras, corpos definidos. Mas foram essas as pessoas que quiseram posar

"Recebi críticas por isso, disseram que as fotos mostravam só homens malhados, mulheres magras, corpos definidos. Mas foram essas as pessoas que quiseram posar e eu levo muito em consideração o conforto da pessoa que estou fotografando", conta. Seis homens, incluindo o irmão gêmeo do fotógrafo, e três mulheres se despiram diante de suas lentes. Todos os fotografados são amigos ou conhecidos do fotógrafo.

SIGA O IGAY NO FACEBOOK

Ao longo do processo, o fotógrafo teve a ideia de as pessoas segurarem fotos de genitais sobre os seus próprios membros. "Queria que o meu trabalho tivesse uma performance fotográfica, com uma foto em cima de outra foto". Os modelos estavam cientes da intenção do projeto e concordaram com a divulgação das imagens além da apresentação na faculdade.

Apesar de algumas pessoas acharem transgênero assustador e surreal, as coisas se encaixam. As pessoas estão refletindo sobre transexualidade a partir das minhas fotos

Não demorou para que as fotos despertassem uma discussão de gêneros e transexualidade. "O meu trabalho mostra que, apesar de algumas pessoas acharem transgênero assustador e surreal, as coisas se encaixam. As pessoas estão refletindo sobre transexualidade a partir das minhas fotos e, no geral, aprovaram o trabalho", conta.

Como era um trabalho de fim de curso, havia um prazo a ser cumprido e Antonucci apresentou as fotos que conseguiu fazer até a data limite. O objetivo do fotógrafo é expandir o projeto e continuar fazendo fotos, explorando também cenários, uma vez que esse conjunto de imagens foi feito unicamente em estúdio.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.