Ela volta para a TV na terceira temporada da série, que estreia em 12 de junho, entrou na lista das 50 personalidades LGBT mais influentes e posou sexy para revista

Laverne Cox disse não, pensou melhor e disse sim. E assim, posou nua para o fotógrafo Norman Jean Roy, da revista americana "Allure". O resultado é essa imagem aqui:

A atriz transexual Laverne Cox em pose para o fotógrafo Norman Jane Roy
Reprodução
A atriz transexual Laverne Cox em pose para o fotógrafo Norman Jane Roy



"Na vida você tenta disfarçar e se esconder, mas não funciona muito", disse para a revista a estrela de 30 anos, que interpreta a transexual Sophia Burset em "Orange is the New Black". Seu irmão gêmeo na vida real faz o papel de Marcus, ou Sophia Burset antes da transição. Ela justificou ter aceitado posar nua para fortalecer tanto a imagem das mulheres trans quanto a das negras.


Ver uma mulher negra e transexual aceitando e amando tudo a respeito de si mesma pode ser inspirador para outras pessoas. Há beleza naquilo que consideramos imperfeições

"Eu sou uma mulher negra transexual e senti que fazer isso poderia ser uma atitude poderosa para as comunidades que eu represento. As mulheres negras não são consideradas bonitas a não ser que pertençam a um determinado padrão de beleza. As mulheres trans certamente não são consideradas bonitas. Ver uma mulher negra e transexual aceitando e amando tudo a respeito de si mesma pode ser inspirador para outras pessoas. Há beleza naquilo que consideramos imperfeições. Isso parece um grande cliché, mas é verdade." Ela disse que queria fazer as fotos para ela mesma também. "Eu sinceramente só quero agradar a mim mesma, mas se as outras pessoas gostarem, então tá ótimo. Se não gostarem, ao menos eu estou feliz."

SIGA O IGAY NO FACEBOOK

Laverne Cox na capa da revista TIME
Reprodução
Laverne Cox na capa da revista TIME

Laverne tem muitos motivos para estar feliz. Como mulher trans, ela já derrubou várias barreiras. Foi a primeira trans a estampar a capa da revista "Time", em atéria que dizia que os direitos da população transgênera são a próxima fronteira dos direitos humanos.  

Foi a primeira trans a concorrer ao Emmy de melhor atriz.

E recentemente entrou em 9º lugar na lista das 50 personalidades LGBT mais influentes  da revista OUT.



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.