Todo ano a publicação americana faz um ranking dos mais influentes na comunidade LGBT dos EUA. Visibilidade na mídia e impacto na visão de mundo das pessoas são levados em consideração . Veja os escolhidos:


Tim Cook ficou com o primeiro lugar. O CEO da Apple é abertamente gay. Após sua eloquente saída do armário, continuou se manifestando a favor da diversidade. Recentemente, se pronunciou contra a nova lei do Estado de Indiana , que permite a estabelecimentos comerciais não atenderem clientes homossexuais baseado em princípios religiosos. 

SIGA O IGAY NO FACEBOOK

"Essas leis promovem injustiça com a pretensão de defender alguma coisa pela qual as pessoas prezam. Elas vão contra os próprios princípios sobre os quais nossa nação foi fundada e têm o potencial de desfazer décadas de progresso", opinou.

Ellen DeGeneres na capa da revista
Reprodução
Ellen DeGeneres na capa da revista "Time" coma entrevista em que ela saiu do armário

A apresentadora Ellen Degeneres saiu do armário  em 1997. A capa da edição da revista "Time" com a entrevista em que ela afirma: "Yep, I'm gay" virou um ícone. Muitas celebridades se inspiraram no exemplo dela e, recentemente, o ator americano  Jussie Smollett , da série "Empire", saiu do armário em entrevista a DeGeneres.

Assim como a apresentadora, a saída do armário do jogador de futebol americano  Michael Sam  também inspirou outros jogadores. "Há muitos de nós", declarou o atleta em entrevista recente para a "Sports Illustrated". Ele também está na lista das 50 personalidades da Out.

Como âncora e comentarista, Rachel Maddow tem muito poder de influenciar opiniões nos Estados Unidos. Ela é o terceiro lugar do ranking. A jornalista tem colocado em pauta assuntos como a comunidade LGBT e os direitos das mulheres. Assim como ela, o âncora Anderson Cooper  tem se destacado nos noticiários e é o quinto lugar da lista.

Uma das legisladoras mais progressistas, Tammy Baldwin é o quarto lugar do ranking. Ela é a primeira senadora abertamente gay dos Estados Unidos e a primeira mulher de Wisconsin a se tornar senadora. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.