Trabalho do fotógrafo Rafael Karelisky venceu o prêmio Wedding Best, que escolheu o melhor álbum de casamento na feira Fotografar 2015, que termina nesta quinta (16) em SP. "Eu me comporto como convidado, viro parte da festa", diz ele

Experiente em registrar casamentos, que são o principal assunto do fotógrafo paulistano Rafael Karelisky, de 29 anos, ele pensou de cara que este seria “um casamento que não tem noiva!”. Mas a surpresa de verdade foi encontrar, segundo ele, "um dos casamentos mais incríveis que já tive oportunidade de vivenciar". Com a particularidade do noivo chorando de emoção. "É apenas mais uma bela história de amor", diz ele.

SIGA O IGAY NO FACEBOOK

O prêmio consiste em uma câmera da marca Nikon, "top de linha", segundo o fotógrafo, e patrocínio para material fotográfico como papel e álbuns. Rafael ganhou o mesmo prêmio no ano passado. "Mantive o cointurão", brinca ele. Mas o melhor de tudo é a visibilidade que o prêmio traz e os próximos casamentos gays que ele espera fotografar. "O prêmio não é para uma foto específica, é para o trabalho todo, então eu me sinto verdadeiramente honrado."

Fiz 29 casamentos héteros no ano passado, e apenas um gay. Nenhum dos outros foi igual a este. Tinha muito amor em volta deles, vindo da família e dos amigos

Rafael tinha feito antes deste um único casamento gay, cerca de oito anos atrás, mas não foi uma experiência muito agradável. "Eles não estavam bem resolvidos com a situação toda, eu também fiquei constrangido. Fora isso, estava em outro momento da fotografia", explica.

Desta vez a situação foi completamente outra. "Fiz 29 casamentos héteros no ano passado, e apenas um gay. Nenhum dos outros foi igual a este", compara. "O foco estava apenas no que era importante para eles. Não tinha noiva, mas também não tinha formalidade, não tinha decoração suntuosa. Foi a celebração de um sentimento profundamente verdadeiro, de um amor de que muitos deveriam ter inveja. Não apenas do Thomas pelo Juca e vice-versa, mas muito amor em volta deles vindo da família e amigos", conta o fotógrafo.

Juca e Thom se arrumaram juntos e foram de mãos dadas para o casamento. Os amigos falaram coisas sobre o casal no mesmo microfone que logo em seguida os noivos usaram para trocar votos. Thom cantou uma música para Juca. E depois todos dançaram muito para celebrar a união deste casal que está junto há 8 anos.

"Um pouquinho antes de a gente fazer sete anos de namoro, saiu a decisão do Supremo (sobre todos os cartórios brasileiros estarem autorizados a realizar casamentos de pessoas do mesmo sexo). A gente se casou no dia 22 de março e no dia 23 completamos oito anos de namoro. Comemoramos as duas coisas ao mesmo tempo", diz Thomas.

É claro que eu vou achar o álbum do meu casamento incrível, mas agora teve um reconhecimento oficial. É muito legal ter um álbum premiado (Thomas)

Thomas e Juca são metaleiros e se conheceram numa comunidade metaleira do extinto Orkut. Thomas conhecia Rafael, que também é fã de metal, e o trabalho dele já há algum tempo e sabia que ele tinha ganho o prêmio de melhor álbum de casamento no ano anterior. "O Juca é diretor de arte, eu também gosto muito de arte e de fotografia, e nós queríamos que as fotos do casamento fossem um registro compatível com nossa expectativa de como ia ser a comemoração", diz ele. "O trabalho do Rafael atendeu 100% das nossas expectativas, mas é claro que eu vou achar o álbum do meu casamento incrível. O prêmio é um reconhecimento, é muito legal ter um álbum premiado."





    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.