A presidente chilena, Michelle Bachelet, assinou uma lei que reconhece a união civil para casais do mesmo sexo. Lei passa a vigorar a partir de outubro de 2015

BBC

A lei, que terá efeito daqui a seis meses, dá a casais do mesmo sexo e àqueles não casados a maioria dos direitos dos quais desfrutam os casais oficialmente casados no país.

Estima-se que mais de 2 milhões de pessoas no Chile estão vivendo juntas. Hoje damos a elas a opção de ter suas uniões legalmente reconhecidas (Michelle Bachelet, presidente)

Vários países da América Latina já reconhecem uniões civis entre pessoas do mesmo sexo. Mas somente Argentina e Uruguai permitem o casamento gay completo na América do Sul. Outros dão a casais o direito a herdar propriedades e receber pensão.

''Estima-se que mais de 2 milhões de pessoas no Chile estão vivendo juntas. Hoje damos a elas a opção de ter suas uniões legalmente reconhecidas" disse a presidente Bachelet.

Advogados que defendem direitos gays saudaram a nova lei como um passo em direção aos direitos totais de casamento entre pessoas do mesmo sexo.

"Estamos muito felizes. A partir de outubro, casais poderão ter suas uniões legalmente reconhecidas pela lei, algo que era um sonho há alguns anos atrás, até mesmo um tabu", disse o militante Rolando Jimenez.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.