A Escola estadual Monsenhor Gonçalves, em São José do Rio Preto, reprimiu dois alunos gays por um beijo. Para protestar contra atitude da escola, colegas organizam ato de repúdio

Alunos da Escola Estadual Monsenhor Gonçalves, em São José do Rio Preto, no interior paulista, fizeram uma manifestação na manhã desta segunda-feira (6) em frente à escola. O ato teve início por volta das 6h30. Na última semana, dois meninos foram suspensos pela diretora da escola após serem vistos se beijando.

Ato Educação para Todes: repúdio à homofobia da EE Monsenhor Gonçalves
Reprodução/Facebook
Ato Educação para Todes: repúdio à homofobia da EE Monsenhor Gonçalves

SIGA O IGAY NO FACEBOOK

Os alunos dizem que, apesar de beijos serem proibidos na escola, casais heterossexuais são vistos se beijando com frequência e não são suspensos. O protesto pediu o fim da homofobia nas escolas.

"Meninos e meninas podem se agarrar na escola que não falam nada, mas um casal gay não pode se beijar?", questionou uma internauta na página do evento no Facebook.

"Indignado, estarrecido, abismado! Falharam na missão básica de fornecer um ambiente de suporte para a construção de cidadãos de uma sociedade ascendente. Homofobia praticamente explícita, afinal punir dois adolescentes por se beijarem seria o quê?", disse outro internauta.

Torço pra que consigam alcançar seus objetivos. E façam um beijaço na frente dos moralistas da escola" (Mãe de aluno)

Uma mãe deixou um comentário de apoio aos alunos: "Torço pra que consigam alcançar seus objetivos. E façam um beijaço na frente dos moralistas da escola".

Uma professora escreveu uma nota de repúdio: "Gostaria de manifestar minha total discordância com a conduta da direção da E.E. Monsenhor Gonçalves em punir dois garotos por sua orientação sexual".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.