Devin Norman foi agredido na última sexta-feira (20) no estacionamento de um estabelecimento comercial.

O jovem homossexual Devin Norman foi agredido na última semana em uma cidade do Mississippi, nos Estados Unidos. O agressor teria ofendido Devin, com palavras homofóbicas, antes de espancá-lo.

Devin Norman foi agredido nos EUA
Reprodução
Devin Norman foi agredido nos EUA

SIGA O IGAY NO FACEBOOK

A página "Apoie Devin Norman", no Facebook, recebeu mensagens de apoio de diversas partes do mundo. No domingo, uma manifestação na cidade de Corinth, no Mississippi, pediu o fim do ódio a homossexuais e recebeu doações em dinheiro para Devin. Além disso, uma página foi criada em um site  de arrecadações.

O ativista Benjamin O'Keefe publicou uma postagem no Huffington Post, comentando o caso. "O Estado do Mississippi não tem proteção contra crimes de ódio para pessoas homossexuais", diz. Ele afirma que o medo de sofrer agressão homofóbica é compartilhado pela maioria dos homens gays, inclusive por ele.


Leia o texto na íntegra:

"Bicha". Infelizmente, é uma palavra que a maioria dos homens gays já ouviu em algum momento de suas vidas. É a palavra que Devin Norman ouviu no estacionamento de uma padaria neste final de semana antes de ser brutalmente espancado por ser gay no Mississippi.

Pessoas realizam manifestação pelo fim da violência homofóbica
Reprodução
Pessoas realizam manifestação pelo fim da violência homofóbica

O medo de ser fisicamente agredido por ser gay já passou pela mente de quase todo homem gay. Para muitos, inclusive para mim, é um medo que se tornou uma realidade. Com a decisão sobre casamento gay a apenas alguns meses de ser votada nos Estados Unidos e atores e atrizes como Laverne Cox nas capas das revistas, é fácil achar que vivemos em um mundo onde pessoas LGBT não têm muito mais com que se preocupar. Simplesmente não é assim.

No dia 20 de março de 2015, Devin Norman se tornou mais uma prova disso. Devin está atualmente se recuperando do ataque brutal que sofreu e seu agressor está detido. O problema é o seguinte: seu agressor está sendo acusado apenas por assalto, mesmo que o incidente pareça ser um crime de ódio motivado por orientação sexual.

O Estado do Mississippi não tem proteção contra crimes de ódio para pessoas homossexuais - não surpreende, sendo um Estado que está se recusando a emitir certidões de casamento a casais gays mesmo depois de mandato da Justiça.

Enquanto o Mississippi continua atrasado no tempo, ainda podemos pedir justiça para Devin em nível federal. Em 28 de outubro de 2009, o presidente Obama assinou o Ato de Prevenção Contra Crimes de Ódio. O projeto de lei expande a legislação sobre crimes de ódio nos Estados Unidos a crimes motivados pelo gênero, orientação sexual, identidade de gênero ou disforia da vítima, sendo essa situação de conhecimento do agressor ou deduzida por ele.

No ano passado, Devin disse em sua página do Facebook que ele busca ser a mudança que ele deseja ver no mundo. Apesar desse acontecimento terrível, nós podemos ajudá-lo a fazer desse objetivo realidade.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.