“Isso é pra você aprender a não olhar na cara de um homem de verdade e agora você vai morrer, viado”. Segundo Rodrigo Kirchoff, estas foram as palavras de seu vizinho Wanderson antes de o atingir com uma facada no pescoço

Rodrigo Kirchoff mostrou fotos dos ferimentos em sua rede social
Reprodução/Facebook
Rodrigo Kirchoff mostrou fotos dos ferimentos em sua rede social


O engenheiro elétrico Rodrigo Kirchoff, 33, foi vítima de um ataque no dia 10 de março. Ele alega ter sido agredido por um vizinho por motivo homofóbico. O caso aconteceu em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista. Segundo Kirchoff, ele foi atingido com uma facada nas costas por seu vizinho, que teria dito: "Isso é para você aprender a não olhar na cara de um homem de verdade. E agora você vai morrer, 'viado'". Ele alega que vinha sofrendo ofensas homofóbicas de seu vizinho desde novembro do ano passado.

Assista ao vídeo da câmera de segurança do prédio que registrou o exato momento do ataque:


SIGA O IGAY NO FACEBOOK

No boletim de ocorrência, o agressor diz que o vizinho bateu em sua parede para reclamar do barulho e, depois disso, os dois discutiram no hall do prédio. Ele diz que agrediu o vizinho devido a uma ofensa.

Guardas municipais foram encaminhados ao local e encontraram Kirchoff ferido, sendo atendido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Ele foi levado ao pronto-socorro central de São Bernardo do Campo. Em sua página no Facebook, ele diz que permanecerá em recuperação em sua casa durante três meses.


Leia na íntegra o depoimento publicado por Rodrigo Kirchoff  no Facebook

"No mês de novembro de 2014, depois de várias ofensas de sua homofobia realizadas pelo meu vizinho, que todas as vezes me ofendia e me chamava sempre de veadinho, e outros termos pejorativos.

Por não aguentar mais insultos acabei reagindo a estas agressões verbais. Depois deste episódio nunca mais se falamos sentia sempre seu olhar com ódio e temor contra a minha pessoa, mas em acreditar cada um na sua fui vivendo minha vida.

Nesta terça feira dia 10 de março de 2015, onde este cidadão Wanderson estava na frente ao playground. Ele olhou feio pra mim, mas não falou e não fez nada. Fui ao mercado, fiz as minhas compras.

Quando eu voltei estavam ele e a esposa em frente à entrada do meu prédio. Conforme eu caminhava sentido eles para entrar no prédio eu ouvi a esposa dele dizendo “tem certeza q é isso que você quer fazer”? Ele respondeu: “sim”. Aí a esposa (Adriana) disse “então faça”.

Nisso eu já havia entrado no prédio e estava em frente ao elevador quando eu sinto uma coronhada no meu pescoço. Ele me pegou pelas costas com uma faca d açougueiro d +/- 30 cm e me deu uma machadada q pegou no meu pescoço e coluna. O corte foi profundo e trincou o osso da coluna. Eu caí no chão sem forças pra correr.

Nisso ele disse “Isso é pra você aprender a não olhar na cara de um homem de verdade e agora você vai morrer VIADO”. Eu gritei desesperadamente por socorro e o Zelador (Mário) correu e segurou o Wanderson. Depois disso eu fui rastejando até o meu apartamento onde o meu amigo me socorreu. Ele ligou pro SAMU e pra polícia. O agressor foi preso em flagrante, porém foi liberado pela polícia no outro dia após pagamento d fiança. E desde então eu estou no hospital.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.