A iniciativa é da comunidade LGBT que frequenta uma igreja católica em Nova York, nos Estados Unidos

"É tão difícil ser católica na comunidade trans como é difícil ser trans na comunidade católica".  É com frases como esta que tem início o documentário "Owning Our Faith", realizado por pessoas que são católicas e LGBTs. Assista:


"Eu me sinto acolhido na Igreja, mas sempre sinto que estou agindo com cautela", diz um dos participantes do documentário. Ele e outras pessoas católicas dividem um sentimento em comum: deslocamento. Algumas delas contam que evitam falar sobre sua orientação sexual no meio religioso por temerem reprovação. Outras contam que causam surpresa nas pessoas quando revelam que são católicas e homossexuais.

SIGA O IGAY NO FACEBOOK

A iniciativa de realizar o documentário partiu de católicos LGBTs. Seus amigos e familiares contribuíram, dividindo suas histórias. A ideia é abrir um espaço de diálogo para quebrar preconceitos existentes no meio religioso.

Apesar de existirem grupos conservadores, muitas pessoas estão dispostas a aceitar LGBTs na Igreja. O padre Patrick Conroy é um deles. "A procriação ocorre entre um homem e uma mulher. Mas a sexualidade não é só isso, é muito mais", diz.

Um homem trans entrevistado fala sobre sua transição e opina dizendo que não é apenas um procedimento físico, como muitos acreditam, tem também uma forte carga psicológica. "Para mim, foi imensamente espiritual", diz.

A inciativa de gravar esses depoimentos começou em novembro de 2014, quando diversos católicos LGBTs da igreja de São Paulo Apóstolo, em Nova York, nos Estados Unidos, lançaram o projeto, a fim de promover um diálogo entre essa igreja e as minorias de gêneros. O objetivo é expandir a discussão para toda a Igreja, propondo a reflexão sobre inclusão e aceitação de LGBTs.

"Esperamos que a Igreja reconheça que Deus está agindo nas histórias de nossas vidas. Queremos inspirar uma mudança que irá fortalecer famílias, encorajar a aceitação e promover um diálogo aberto", diz o site da campanha .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.