O conceito "Highsexual" identifica homens que se relacionam com homens apenas se fumam maconha. "Ser gay envolve mais do que fantasias homoeróticas", diz Klécius Borges

A discussão veio à tona depois que um usuário do site americano Redditt postou sua dúvida: alguém mais se sente como ele, que é hetero mas tem desejo por homens quando fuma maconha? As repostas vieram de várias frentes: em forma de piada, de tentativas de analisar a questão e de quem parece conhecer a situação. Um deles disse: "Meus amigos chamam isso de 'chapadosexual'. Você possivelmente é um deles."

Segundo o "chapadosexual", o que acontece com ele é o seguinte (palavras exatas): “Me sinto atraído por meninas e não ligo para homens quando estou sóbrio. Mas quando estou chapado, só quero chupar um p** grande de um homem que me coma com vontade. Alguém mais tem esse desejo? Mais alguém se sente assim depois de um baseado?”

Não é que ele simplesmente tem desejo por homens - o que ele tem, e realiza, é vontade de ser passivo em uma relação sexual de verdade com um homem. O que será que acontece com ele? Para não dar opinião baseada apenas em nossa própria experiência, como fizeram os participantes da discussão no Redditt ("Você é bissexual", "Você é um pouco gay"), fomos ouvir um especialista.

Ser gay envolve mais do que desejos e fantasias homoeróticas. Há um aspecto importante da identidade, a identidade sexual, que inclui, entre outras coisas, uma orientação de desejo e um estilo de vida homossexual." (Klécius Borges)

O psicólogo e escritor Klécius Borges, especialista em relações homoafetivas, analisou a questão. "Antes de qualquer coisa é preciso considerar que o que entendemos como gay envolve mais do que desejos/fantasias homoeróticas", diz ele. "Envolve um aspecto importante da identidade, a identidade sexual, que inclui, entre outras coisas, uma orientação de desejo (homossexual), preferências e práticas homossexuais, fantasias com pessoas do mesmo sexo, comportamentos sociais, valores culturais, estéticos, estilos de vida, etc."

Ser gay, portanto é mais complexo do que apenas se sentir atraído por outro homem, ou mesmo efetivamente transar com outro homem, especificamente quando se fuma maconha. "Ninguém se torna gay por que está chapado. A maconha, assim como o álcool e outras drogas, pode desinibir um desejo inibido ou mesmo dar a 'coragem' ou a 'permissão' para a realização do desejo reprimido ou inibido", explica.

O psicólogo e escritor Klécius Borges
Reprodução
O psicólogo e escritor Klécius Borges

Ou seja, o conceito de "chapadosexual" não é de todo absurdo. Mas também é verdade que o sujeito tem claros desejos homossexuais, e pode estar culpando a maconha por sua conduta. "O depoimento do entrevistado indica que ele tem fantasias homossexuais. Ele pode não admitir isso nem pra si mesmo e por isso 'responsabiliza' a maconha por seu desejo homossexual e de submissão à outro homem. Ele pode nunca se identificar como gay, mas poderia ser eventualmente incluído no grupo dos homens que fazem sexo com homens", diz Klécius.

Mas também pode ser sinal dos tempos: os jovens hoje em dia têm menos propensão a se rotular como sendo isso ou aquilo e se limitar a uma ou outra sexualidade. "A experimentação sexual tem sido mais comum a partir da liberação dos costumes e da flexibilização em relação às identidades de gênero e às orientações sexuais. A maconha e outras drogas aumentam a desinibição e para alguns podem funcionar como afrodisíacos. Mas essa não é uma reação universal."



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.