Pesquisa feita em bairros conservadores de Los Angeles mostra que a percepção dos gays e lésbicas pode mudar para sempre depois de uma conversa franca e significativa

O que é possível fazer para mudar a posição das pessoas que são contra o casamento gay? David Fleisher, do Centro LGBT de Los Angeles, propôs um experimento. Enviou para bairros que tiveram maioria a favor da Proposição 8, emenda que derrubou o casamento gay na Califórnia em 2008, pesquisadores (gays e heteros) para conversar com as pessoas sobre esse assunto. (A Proposição 8 foi derrubada em 2013)

O resultado do experimento, que será  publicado na revista "Science" , é positivo: o apoio ao casamento aumentou 8% depois de uma única conversa. Michael La Cour, da Universidade da Califórnia, em Los Angeles, que conduziu o estudo, acha que a conversa foi efetiva porque os pesquisadores se aproximaram querendo apenas conversar, e não colher assinaturas, angariar votos ou preencher formulários. "Foi uma ótima forma de testar o efeito de uma conversa com um gay", disse ele. 

SIGA O IGAY NO FACEBOOK

As conclusões vão além: "A imagem mental que vem à cabeça quando essas pessoas pensam em um gay ou uma lésbica mudou para sempre com essa conversa", disse Donald P. Green, professor de ciência política na Universidade Columbia, especialista em pesquisas de opinião pública e co-autor do estudo.

Green disse que ele, assim como outros cientistas sociais, tinha a percepção de que mudar a opinião das pessoas em assuntos como esse era "muito, muito difícil". Ele diz que as mudanças são momentâneas, no "calor do momento", mas que quando a pessoa volta para seu estilo de vida, sua convicção também retrocede.

Mas a conclusão do estudo sugere que uma conversa comprometida, olho no olho, pode influenciar definitivamente o ponto de vista das pessoas. Em média, cada pesquisador gay conversou com os avaliados por 22 minutos - as conversas dos pesquisadores heteros não duraram tanto.

Os condutores do estudo acreditam que os resultados oferecem esperança para várias questões, não só aquelas que se referem aos gays, mas também para outras polêmicas como aborto, por exemplo. "Vimos que somos capazes de reduzir o preconceito de forma permanete, isso é promissor."


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.