Fundadores do Misterbnb tiveram ideia depois de serem discriminados por um anfitrião do Airbnb - site concorrente

Misterbnb, site voltado para o público LGBT que reúne propriedades particulares disponíveis para aluguel de curta temporada em todos os lugares do mundo
Reprodução
Misterbnb, site voltado para o público LGBT que reúne propriedades particulares disponíveis para aluguel de curta temporada em todos os lugares do mundo

Você já deve ter ouvido falar do site Airbnb, que reúne propriedades particulares disponíveis para aluguel de curta temporada em todos os lugares do mundo. O viajante pode alugar desde um quarto compartilhado até uma casa inteira, muitas vezes por um preço mais em conta do que os oferecidos por hotéis, dependendo do destino.Hospedar-se dessa maneira, no entanto, exige mais cuidados do que quando ficamos em hotéis, já que a negociação acontece diretamente com o dono da casa. E a atenção deve ser ainda maior se você for da comunidade LGBT, já que ninguém quer se hospedar na casa de um homofóbico.

Foi depois de passarem por uma experiência de férias bem desagradável que o francês Matthieu Jost e seu parceiro resolveram criar o Misterbnb - uma espécie de Airbnb para LGBTs. Os dois alugaram um quarto em Barcelona, na Espanha, e chegando lá os donos não gostaram da ideia de receber dois homens que gostariam de compartilhar a mesma cama.

Lançado no início de 2013, o site já reúne mais de 8 mil opções de quartos, casas, apartamentos, barcos e até castelos para LGBTs que querem passar as férias sem ter de se preocupar se os seus anfitriões aceitam ou não sua sexualidade. Aliás, é comum encontrar casais de anfitriões do mesmo sexo oferecendo suas casas para receber outros LGBTs.

- SIGA O IGAY NO FACEBOOK

A cidade com o maior número de propriedades disponíveis no Misterbnb é Paris, com mais de 800 opções, seguida por Barcelona, com mais de 500, e Londres e Nova York, com cerca de 300 opções. No Brasil, cidades como São Paulo e Rio de Janeiro também já oferecem algumas opções de hospedagem para os turistas gays. A média da diária é de US$ 70, mas esse valor é decidido pelo anfitrião.

A cidade com o maior número de propriedades disponíveis no Misterbnb é Paris, com mais de 800 opções
Thinkstock
A cidade com o maior número de propriedades disponíveis no Misterbnb é Paris, com mais de 800 opções

No site, assim como no Airbnb, é possível ler as avaliações de quem já se hospedou naquela propriedade, além de poder conversar diretamente com o anfitrião e tirar dúvidas sobre como é a vizinhança ou pedir dicas de lazer. O mais interessante do Misterbnb, segundo o gerente de desenvolvimento Benoit Breton em entrevista à Forbes, é que além de se livrar da possibilidade de ser discriminado, os anfitriões muitas vezes acabam virando o seu guia turístico gay da cidade, mostrando o que o local tem a oferecer para a comunidade LGBT.

Outra curiosidade é que o Misterbnb vem chamando a atenção também das mulheres heterossexuais, que já correspondem à cerca de 10% dos turistas que utilizam o site para encontrar a hospedagem perfeita. O fato de os anfitriões serem, em geral, homossexuais, traz uma sensação de segurança também para elas.

Além do serviço de aluguel de propriedade, o site já conta com alguns guias das cidades que são os principais destinos dos turistas LGBTs. Veja algumas opções gay-friendly oferecidas pelo Misterbnb ao redor do mundo:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.