Fotógrafa norte-americana registrou o cotidiano de gays em meio ao boom da AIDS e à luta pelos direitos LGBT

Sheila e Dorothy, em Santa Fé, nos EUA, 1988
Sage Sohier
Sheila e Dorothy, em Santa Fé, nos EUA, 1988

Não dá para negar que em 30 anos os direitos LGBTs avançaram radicalmente. Em muitos países a homofobia já foi criminalizada, o casamento homoafetivo é permitido e leis anti-bullying contra homossexuais foram criadas. Ainda há muita violência e preconceito contra a comunidade? Com certeza. Mas nunca antes os LGBTs tiveram tanta liberdade e apoio do resto da população.

Quem é da nova geração, porém, acaba esquecendo que foi graças à luta iniciada pelas gerações anteriores que hoje a situação está mais favorável para os LGBTs. E os ensaios da fotógrafa Sage Sohier são uma ótima maneira de homenagear quem passou por tempos ainda mais conturbados.

Em recente entrevista ao New York Times, a norte-americana conta que começou a fotografar casais de gays e lésbicas nos anos 1980 com o intuito de se conectar com seu pai - um veterano de guerra que nunca se assumiu gay, mas que saía com garotos.

Em meio ao boom de AIDS entre os LGBTs, Sage fotografou dezenas de casais na tranquilidade de suas casas, infectados com o vírus HIV ou não, para mostrar cenas do cotidiano dessas pessoas, que levavam uma vida normal, ao contrário do que muitos pensavam na época.

SIGA O IGAY NO FACEBOOK

O resultado são lindas fotos de pessoas comuns, com sonhos, expectativas e frustrações, que tiveram papel fundamental na evolução dos direitos LGBTs. Confira o ensaio "Em casa com eles mesmos: casais homoafetivos na América dos anos 80": 


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.