Filme cotado para o próximo Oscar é alvo de críticas por ocultar cenas de afeto homossexual do personagem principal, vivido pelo ator inglês Benedict Cumberbatch

Benedict Cumberbatch , cotado para o Oscar de melhor ator em 2015, pela interpretação de Alan Turing , um dos mentores da computação moderna e o homem que quebrou códigos nazistas, contribuindo de maneira enfática para o triunfo dos aliados na segunda guerra mundial, falou em entrevista ao site americano The Wrap sobre a homossexualidade do personagem e a maneira como ela é retratada no filme.

Benedict Cumberbatch em 'The Imitation Game'
Divulgação
Benedict Cumberbatch em 'The Imitation Game'


Turing, que deveria ser celebrado como herói, teve um fim trágico . Ele suicidou-se em 1954. Além de ser proibido de trabalhar no Laboratório Nacional de Física do Reino Unido, para o qual dedicou sua carreira depois do fim da guerra, Turing foi julgado e condenado por ter tido relações sexuais com outro homem . Atos homossexuais eram considerados criminosos na Inglaterra de então. Turing aceitou ser quimicamente castrado como alternativa à prisão. Em 1954 foi encontrado morto, envenenado por cianeto. Em dezembro de 2013, Turing recebeu o perdão real da Rainha Elizabeth.

Héteros fazendo papel de gays são mais frequentes que gays interpretando héteros

O filme “The imitation game” tem recebido algumas críticas por não apresentar cenas de sexo homossexual. Cumberbatch não vê razão para a polêmica . “Não é explorar a vida sexual de Turing o que o filme pretende”. Para o ator, a homossexualidade de Turing é revelada por meio dos diálogos. “Eles são bem explícitos”.

Cumberbatch , que é mais conhecido por interpretar o personagem Sherlock Holmes na série da BBC e também foi o vilão do último filme da franquia “Star Trek”, vai além: “Se você precisa ver cenas de sexo para entender que ele é gay, então qualquer traço de sutileza na narrativa se perde para sempre. A ideia de ter dois homens nus não era algo que eu julguava estar faltando no roteiro”.

O biógrafo de Turing, Andrew Hodges , não se dá por vencido e diz que o filme, que ganhou o prêmio do público no último festival de Toronto, é “alarmantemente inverídico” sobre muitos detalhes da vida de Turing. “Eles inventam um relacionamento com a personagem de Keira Knightley que não houve”, garante.

“The imitation game”, ainda sem título nacional, só deve estrear nos cinemas brasileiros em fevereiro do próximo ano.