Premiado por curtas que focam na temática LGBT, diretor de cinema usou o Facebook para se assumir e questionar a eleição de candidatos como Jair Bolsonaro e Marcos Feliciano

Felipe Cabral (à direita) em cena do curta
Divulgação
Felipe Cabral (à direita) em cena do curta "Aceito"

Premiado em festivais de cinema com os curta-metragens "Gaydar" e "Rótulo", o diretor Felipe Cabral utilizou seu Facebook para assumir sua homossexualidade e, como o próprio escreve, sair do armário "pela segunda vez".

CURTA A PÁGINA DO IGAY NO FACEBOOK

Com um post entitulado "Eu sou gay e quero um mundo melhor", Cabral afirma que não precisaria sair do armário, mas que quer, principalmente após alguns fatos que marcaram as eleições de 2014 , como o discurso de Levy Fidelix (PRTB) no debate da última semana e a eleição de nomes como Jair Bolsonaro (PP-RJ), autor da frase "filho gay é falta de porrada", e Marco Feliciano (PSC-SP).

"Alguns índices dessa eleição me assustaram e muito. É aterrorizante ver o Feliciano e o Bolsonaro sendo os mais votados. (...) Eles estão dizendo que eu, Felipe, seu amigo, é errado, pecador, pedófilo, que não merece ter os direitos respeitados que nem meus amigos héteros", escreve o diretor de cinema.

"Mas como eu vou lutar por isso sem me assumir como gay? Claro que todos podem e devem lutar por esses direitos, gays ou não, assumidos ou não. Não é uma regra se assumir pra lutar. Mas eu, pessoalmente, há meses penso nessa questão", completa.

Veja também: Curta que brinca com a ideia de um "radar gay" vira hit na web

Felipe cita ainda o seu novo curta, "Aceito", financiado por crowdfunding, e como ele está relacionado com sua decisão: "Esse ano vou lançar meu novo curta 'Aceito' e eu prometi que seria o ano que eu diria sim pras coisas. Dizer sim pra mim mesmo é o mais importante".

Veja quem são os famosos que saíram do armário na galeria de fotos:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.