Primeiro semestre de 2014 mostrava que o número vinha diminuindo. Entre janeiro e junho, foram 537 casos relatados

Agência Brasil

Em apenas quatro dias, o serviço telefônico Direitos Humanos – Disque 100 recebeu 6 mil denúncias de homofobia, em relação às declarações do candidato à Presidência da República Levy Fidelix (PRTB). O número de chamadas é maior que o registrado nos últimos três anos, segundo balanço da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH-PR), que mantém o serviço.

O Disque 100 recebe denúncias 24 horas por dia de violações dos direitos humanos
Divulgação
O Disque 100 recebe denúncias 24 horas por dia de violações dos direitos humanos

Em 2011, foram 1.159 denúncias; em 2012, 3.031; e em 2013, 1.695. Ao todo, foram 5.885 casos nesses três anos. O primeiro semestre de 2014 mostrava que o número vinha diminuindo. Entre janeiro e junho, foram 537 casos relatados, 48,56% menos do que os 1.044 contabilizados no mesmo período do ano anterior.

Segundo a SDH, nos últimos anos, as denúncias foram motivadas por casos como violência física, violência psicológica, discriminação e negligência. Já todas as denúncias feitas entre domingo (28) e hoje (1º) foram relacionadas às declarações do candidato.

Após ser questionado pela candidata Luciana Genro (PSOL) sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo, em debate na TV Record, no último domingo, Levy Fidelix classificou a homossexualidade como distúrbio psicológico, comparou homossexuais a pedófilos e chegou a conclamar a sociedade a “enfrentar” lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros (LGBT). “Vamos ter coragem, nós somos maioria, vamos enfrentar essa minoria”, disse.

A Agência Brasil procurou discutir o aumento das denúncias com a SDH, mas a secretaria não se pronunciará institucionalmente sobre o caso, por causa das vedações eleitorais.

Outras formas de manifestação foram levadas a cabo, nos últimos dias, como o ato público, ontem (30), na Avenida Paulista, em São Paulo, e os organizadores está convocando um "beijaço" para o próximo sábado. O ponto de encontro será a casa de Fidelix, em repúdio às ideias do candidato. Além disso, “não vamos perder a oportunidade para ensinar ao Levy que nosso sexo não é só sistema excretor. É prazer, desejo, fantasia e faz parte de nossas identidades de gênero e orientação sexual”, diz o texto da convocatória.

Além das manifestações, as declarações também motivaram pelo menos três ações judiciais, que estão sendo analisadas pelo Tribunal Superior Eleitoral.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.