Trofeu Felix faz homenagem ao personagem vivido por Mateus Solano em "Amor à vida", que marcou época como o primeiro a protagonizar um beijo gay em uma novela da Globo

O Festival Internacional de Cinema do Rio de Janeiro, que inicia sua 16ª edição nesta quarta-feira, anunciou a extinção da mostra “Mundo Gay”, composta exclusivamente por filmes de temática homossexual. Essas produções serão distribuídas pelas outras 43 mostras que compõem o festival que ocupa a agenda do cinéfilo carioca por duas semanas.

Cena do filme
Divulgação
Cena do filme "Ausência", que será exibido no Festival

O fim da mostra coincide com a criação do Prêmio Felix , que será outorgado ao melhor filme com temática gay do festival. O prêmio é inspirado no Teddy, criado há 27 anos pelo Festival de Berlim , realizado todos os anos na Alemanha, no mês de fevereiro. Neste ano, inclusive, o vencedor do Teddy foi o brasileiro “Hoje eu quero voltar sozinho” , recentemente destacado para representar o Brasil na disputa por uma vaga entre os filmes estrangeiros no Oscar 2015.

SIGA O IGAY NO FACEBOOK

Comprovando a referência à Berlim, a organização do festival convidou o alemão Wieland Speck para presidir o júri do Felix. Speck fundou o Prêmio Teddy no festival alemão e agora será o responsável por outorgar o primeiro vencedor do prêmio batizado em homenagem ao marcante personagem interpretado pelo ator Mateus Solano na novela “Amor à vida” .

A organização defende as novidades como uma revolução dos filmes LGBT. “A mostra ficou grande, complexa e diversificada demais para um único recorte e se pulverizou por toda a programação”. Nesse contexto, o prêmio Felix iniciará uma nova era da celebração da cultura queer no Festival Internacional de Cinema do Rio de Janeiro.

Favela Gay

O documentário "Favela Gay" estreia na programação do Festival do Rio no dia 3 de outubro. Veja trailer do filme.



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.