Bonnie Kaye é americana, foi casada com um gay e se tornou autoridade no assunto. Escreveu livros, orienta mulheres nesta situação, auxilia os homens a sair do armário e tem o site "Gay husbands, straight wives". O iGay conversou com ela

Bonnie Kaye se separou do marido em 1982 ao descobrir que ele era gay. Daí em diante, usou sua própria experiência para ajudar quem está dos dois lados da questão. Em seu site gay husbands, straight wives (maridos gays, mulheres hetero), a especialista em casamento diz como descobrir que seu marido é gay, como sair do armário (se você é o marido), como superar essa situação e seguir com a vida, como ela própria fez. 

iGay: Você diz em seu site que há atualmente 4 milhões de mulheres que são ou foram casadas com um homem gay nos EUA. Como a população do Brasil é de 214.000.000 (contra 320.000.000 nos EUA), seria correto supor que existem 2.600.000 mulheres nessa situação no Brasil? 

Bonnie Kaye, especialista em casamento
Reprodução
Bonnie Kaye, especialista em casamento

Bonnie Kaye: Sim, esta suposição faria todo sentido. Lembre-se de que muitos desses homens se casam mais de uma vez. Isso explica os números serem maiores do que o número real de homens gays.

iGay: Na novela "Império", um dos programas mais assistidos na TV brasileira atualmente, a mulher está em paz com a bissexualidade do marido, desde que ninguém mais saiba. Isso acontece muito?

Bonnie Kaye: Acho que este é um ponto de "negociação" por que a maioria das mulheres passam. Eu sei que foi assim para mim. Eu justificava que poderia viver com o meu ex-marido se ele fosse "bissexual" (não gay) e só tivesse que responder às suas necessidades de sexo com homens uma ou duas vezes por ano, sem que eu soubesse. Eu estava com medo. Eu tinha um bebê pequeno e outro a caminho. Estava desesperada para não destruir a minha família, então aceitei esse aspecto da sua sexualidade como parte de um pacote. Uma vez que meu ex obteve minha "permissão", estavam justificadas todas as suas escapadas. Eu dei a mão - e ele pegou o braço.

SIGA O IGAY NO FACEBOOK

iGay: Você acredita que um homem bi pode ficar casado com uma mulher e suprimir seu desejo por homens?

Eu justificava que poderia viver com meu ex-marido se ele fosse "bissexual" (não gay) e só tivesse que responder às suas necessidades de sexo com homens uma ou duas vezes por ano, sem que eu soubesse.

Bonnie Kaye: Não acredito que homens casados possam controlar seu desejo sexual por homens. O problema é que as mulheres assimilam isso como culpa delas, porque acreditam que se pudessem satisfazer seus maridos sexualmente, eles não teriam que sair à procura de homens. Elas querem acreditar que seus maridos têm uma "escolha", e se fizerem suficiente esforço, elas serão a opção. Isso não acontece. Eu sempre digo: "O pênis é a linha divisória." Depois de atravessar para o outro lado, ele é gay. Se um homem está pensando em pênis, olhando fotos de pênis, assistindo pornô gay, se masturbando com imagens de homens, tocando pênis, tendo relações sexuais com outro homem - ele é gay. Não importa que consiga "performar" com uma mulher, ele tem desejos gays. Você pode dar a ele o nome que quiser, mas isso não muda o que ele é.

iGay: O que acontece quando uma mulher decide conviver com essa situação? Como ela pode ter relações sexuais com o marido e ter a certeza de que não vai contrair uma doença sexualmente transmissível?

Bonnie Kaye, dona do site
Reprodução
Bonnie Kaye, dona do site "Gay husbands, straight wives"

Bonnie Kaye: Infelizmente, a maioria das mulheres ficam confusas quando se trata de sexo com seus maridos gays/bi. Eles não usam proteção, o que explica por que mais de 20% das mulheres com quem eu trabalho têm DST, incluindo HIV/Aids, sífilis, gonorréia, herpes e o vírus HPV. É como se as mulheres sentissem a necessidade de mostrar ainda mais lealdade para com seus maridos quando eles revelam sua orientação sexual. A única maneira de evitar contágio é não ter relações sexuais com eles ou fazer sexo seguro, com muita proteção. Além disso, se você suspeita de que seu marido está tendo relações sexuais com homens, você deve fazer todos os testes. Algumas doenças, como o HIV, são muito administráveis hoje, se detectadas precocemente. Essa doença, em particular, pode ficar incubada por até dez anos.

iGay: E qual é o custo emocional para uma mulher envolvida em um casamento assim?

Bonnie Kaye: Estes casamentos são destrutivos para as mulheres, que são afetadas por perda de auto-estima e de estima sexual. Seu espírito feminino é morto ao saber que o marido prefere fazer sexo com um homem do que com elas. As mulheres desperdiçam milhares de dólares em aconselhamento para corrigir um problema que não pode ser corrigido. Elas fazem cirurgia plástica, colocam implantes nos seios, fazem redução do estômago, tudo na esperança de que seus maridos as desejem mais. Algumas dessas mulheres são lindas, tipo mulher-troféu ou boneca Barbie, mas não faz diferença. Outras apelam para anti-depressivos para suportar seus casamentos insatisfatórios. Uma vez que você tem de tomar um comprimido para adormecer o seu pensamento, você tem que realmente avaliar por que quer ficar casada.

Muitas mulheres apelam para anti-depressivos para suportar casamentos insatisfatórios. Uma vez que você tem que tomar um comprimido para adormecer o seu pensamento, tem que realmente avaliar por que quer ficar casada.

iGay: É claro que cada casal tem o seu pacto, mas você acha que uma mulher casada com um gay pode ter amigas e fazer parte de um grupo com outros casais "normais" quando tem que esconder esse segredo de todos? Ou elas tendem a distanciar-se da companhia de outras pessoas?

Bonnie Kaye: Normalmente, o marido gay vai isolá-la de outros casais "heterossexuais" por medo de que seu segredo seja descoberto. Homens gays pensam que estão agindo como heteros, mas lembre-se, é uma representação. Eu sempre digo que gays não pensam como héteros - e não agem como heteros na maioria dos casos. Portanto, muitas das mulheres são isoladas. A maioria destes homens são maníacos por controle. Como eles não têm controle sobre sua sexualidade, tentam controlar o que as pessoas sabem sobre eles. Para preservar seu segredo, eles vão afastá-la de sua família e dos amigos. Meu ex sempre inventava motivos para arrumar alguma briga quando minha família estava por perto. Ele conseguiu o que queria - minha família não vinha mais visitar. Você não quer ser desleal com o homem que você ama, então você opta por ele em vez da família. E isso te abate com certeza! Aconteceu comigo.

iGay: Quanto tempo leva para uma mulher superar a descoberta de que estava casada com um gay?

Bonnie Kaye: Pode levar anos. O problema é que há um sentimento de vergonha e de culpa. Até porque poucas pessoas sabem da sua situação, é difícil encontrar quem a apoie. Se não fosse pelo computador, é possível que ela não encontrasse ninguém para falar sobre isso, e se sentiria mais isolada ainda. Muitas culturas culpam a esposa pela homossexualidade do marido. Às vezes isso afeta sua posição na comunidade. Quanto mais tempo a mulher permanecer numa situação debilitante, mais tempo levará para a ferida cicatrizar. É difícil, mas depois melhora. Você não vai se curar antes de passar pelo luto, é importante entender isso.

iGay: Como você as ajuda a confiar em um homem novamente? Ou elas tendem a ter problemas para sempre? Qual foi a reação mais radical a que você já assistiu?

Você desconfia de seu senso de julgamento, pensando sem parar nos sinais de alerta que você não percebeu. Foi estupidez sua ou você não queria enxergar? Será que o próximo homem que você amar vai te trair?

Bonnie Kaye: Eu posso dizer com base na minha experiência e na de milhares de outras mulheres que a confiança é o maior obstáculo para um novo relacionamento. Você não pode confiar nos outros até que confie em si mesma. Você desconfia de seu senso de julgamento, pensando sem parar nos sinais de alerta que não percebeu. Foi estupidez sua ou você não queria enxergar? Será que o próximo homem que você amar vai te trair? Você já teve de bancar a detetive por tanto tempo, será que quer fazer tudo de novo com um novo homem? Conheci uma mulher que estava loucamente apaixonada por um homem que a amava muito também. Ela o conheceu enquanto ainda estava em um casamento destrutivo com um marido gay. Em vez de tomar uma atitude e buscar a felicidade, ela permaneceu no casamento por tempo demais e o outro homem desistiu de esperar. Ela estava paralisada de medo de que um dia ele desistisse dela. Bem, ele desistiu. Ele já tinha até se mudado para a cidade dela, para que ela pudesse ficar perto da família, mas ela não conseguiu fazer o movimento final de deixar o casamento.

Capa de um dos livros de Bonnie Kaye:
Reprodução
Capa de um dos livros de Bonnie Kaye: "Mulheres hetero: vidas despedaçadas"

iGay: Você conhece muitos casos de casamentos em que a mulher é lésbica? Os homens reagem da mesma forma quando descobrem que suas esposas são homossexuais?

Bonnie Kaye:  Tenho trabalhado com homens que depois de casados descobrem que as mulheres são lésbicas. A maioria deles se encaixa no mesmo "protótipo" de nossas esposas heterossexuais - gentil, compreensivo, disposto a ajudar, faz-tudo. Eles têm reação similar, mas parecem ser capazes de se recuperar mais rapidamente e seguir em frente. Isso porque geralmente os homens não têm as mesmas fragilidades emocionais que as mulheres, e não são tão dependentes financeiramente como muitas mulheres. Eles podem sentir uma certa rejeição, mas os homens são mais sexuais, por isso é mais fácil para eles voltarem a ter confiança na sua sexualidade.

iGay: Na novela brasileira, o caso do marido gay está prestes a vazar na imprensa. Existe alguma maneira de o casamento sobreviver quando todo mundo conhecer o segredo do marido?

Bonnie Kaye: Não vai ser fácil - mas acontece. Algumas das principais figuras públicas que saíram do armário tiveram suas mulheres os apoiando. Especialmente líderes religiosos que dizem que agora estão "mudados". Muitas dessas mulheres ficam ao lado de seu homem por uma lealdade equivocada, mas que geralmente é temporária. Elas negociam, fazem acordos, ouvem promessas que nunca vão se concretizar, e querem acreditar na palavra de seus maridos. Mas nada muda - a tendência é piorar.

iGay: Você disse em seu site que quando uma mulher tem dúvidas sobre a sexualidade do marido, é quase certo que haja algo errado com ele. É como no ditado, onde há fumaça, há fogo? Se a mulher desconfiar de algo é melhor ouvir sua intuição e enfrentar a situação?

As mulheres têm que aprender a confiar em seus instintos e parar de procurar uma prova concreta que podem nunca encontrar. Também precisam aprender que não podem consertar a situação. Elas não a criaram e não podem mudá-la.

Bonnie Kaye: Eu digo para as mulheres que 63% dos homens homossexuais NUNCA vão contar a verdade para suas esposas - mesmo que o casamento terminar. As mulheres têm que aprender a confiar em seus instintos e parar de procurar uma prova concreta que podem nunca encontrar. As mulheres também precisam aprender que não podem "consertar" a situação. Elas não a criaram e não podem mudá-la. É fora de seu controle. A melhor coisa sobre esses "pseudo-casamentos" é que você pode corrigir o erro e começar de novo. Cada dia que a mulher passa com um homem gay é um dia de sua vida que ela perde e não volta mais. Certas mulheres gastam 10, 20, 30, 40 anos vivendo uma união baseada em uma mentira.

iGay: A mulher se sente traída por um homem gay? Ou saber que o marido tem um caso com outro homem é outra categoria de traição?

Nunca pense: 'Meu marido não tem tempo para me trair. Ele está comigo 24 horas por dia..' Isso é uma piada. Quem quer trair sempre dá um jeito.

Bonnie Kaye: A homossexualidade não tem a ver com infidelidade - e sim com a sexualidade de alguém. Mesmo que um homem gay não traia você fisicamente com outro homem, ele está fantasiando com eles - não com você. Na maioria das vezes, logo nos primeiros anos de casamento, o sexo diminui porque ele se torna "repugnante" para um homem gay. As mulheres merecem mais do que isso. Um ponto bem importante - nunca pense: "Meu marido não tem tempo para me trair. Ele está comigo 24 horas por dia..." Isso é uma piada. Quem quer trair sempre dá um jeito. Eles podem armar um encontro enquanto estão nos restaurantes com suas esposas. Eles têm uma sessão de pegação de 30 segundos no banheiro dos homens. Eles têm aplicativos em seus telefones para isso. Um homem me disse que foi com a esposa fazer compras em uma grande loja de departamentos. Enquanto ela estava no departamento de sapatos, ele estava no provador masculino tirando a roupa de outro homem. As mulheres são ingênuas. Os homens inventam a oportunidade - e, em seguida, se aproveitam dela.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.