Madonna já foi a rainha da comunidade gay. As músicas dela eram ímã para as pistas de dança, seus movimentos imitados à exaustão, sua atitude provocadora um exemplo. Mas e agora?

Atire a primeira pedra quem nunca treinou a coreô de "Vogue" na frente do espelho. Os passos elegantes executados por Madonna no clipe da música (clássica de 1990, tirada da trilha do filme "Dick Tracy") demandavam muito ensaio antes de alguém se atrever a se sentir um superstar na pista. Fora a letra, que é complexa, e todo gay sabia de cor.

O movimento que levava a comunidade gay inteira na direção de Madonna começou bem antes, em 1984, com o lançamento do disco "Madonna". Desde então, e para sempre, "Material Girl" e "Like a Virgin" nunca mais estiveram de fora de um show de drags.  

Cada novo disco, e cada novo show, eram esperados com entusiasmo pelos gays, que sempre foram a maioria de seu público. "Like a Prayer", de 1989, virou mesmo uma espécie de oração repetida milhões de vezes. "Erotica", de 1992, foi outro hit, com as deliciosas "Fever" e "Deeper and Deeper". "Hard Candy", de 2008, trouxe Madonna salvando o mundo em "4 Minutes". O último álbum da cantora, 'MDNA' (2012), ainda tinha o seu apelo - e o show, cenas com a bunda de fora que Madonna, aos 55, ainda  exibe à vontade.

CURTA O IGAY NO FACEBOOK

A gente sabe que a Madonna não é boba. Nos últimos meses a rainha do pop tem se associado aos produtores musicais mais hypados do momento. Certa vez fez uma ponta no show de Avicii , o DJ sueco de 25 anos que cobra 200 mil dólares por set. Em uma outra, postou foto no Insta ao lado de Diplo , responsável pelo hit “Run The World”, da Beyoncé. E para coroar, ainda saiu em uma foto abraçada aos irmãos Lawrence, que formam a dupla britânica Disclosure (a favorita do público gay nos últimos dois verões). Vem coisa aí!

Em sentido horário: Madonna ao lado do produtor americano Diplo; com os britânicos Guy e Howard Lawrence, que formam a dupla Disclosure; e com o produtor e DJ sueco Avici
Instagram / Reprodução
Em sentido horário: Madonna ao lado do produtor americano Diplo; com os britânicos Guy e Howard Lawrence, que formam a dupla Disclosure; e com o produtor e DJ sueco Avici

Mas uma coisa é fato: desde passada a febre de "Confessions on the Dancefloor", de 2005, Madonna está longe de ser a favorita da turma. "Hard Candy" até que vingou, mas não marcou. "MDNA", de 2012, foi um fracasso. Pelas baladas da vida, até de "vovó Madge" andaram chamando a popstar. Será que o tempo dela passou? Será que chegou a hora de ela entregar o cetro de rainha para as cantoras mais novas que ela influenciou e agora estão seguindo o seu caminho? Você decide:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.