Longa de Ira Sachs, "Love is Strange" retrata casal obrigado a viver em casas diferentes, tendo de lidar com a dor da distância e com os dramas familiares de seus novos 'roommates'

Ben (John Lithgow) e George (Alfred Molina), no filme
Reprodução
Ben (John Lithgow) e George (Alfred Molina), no filme "Love is Strange"

Com humor e muito drama, como não poderia deixar de ser. É assim que os dois veteranos do cinema Jhon Lithgow e Alfred Molina interpretam o casal gay Ben e George no filme "Love is Strange". O longa do norte-americano Ira Sachs, sem data prevista para lançamento no Brasil, tem ganhado a atenção dos críticos e recebendo elogios da comunidade LGBT pela sensibilidade com que retrata uma história de amor sem esteriótipos.

Leia também: Como os personagens gays no cinema evoluíram e viraram regra

Com o avanço dos direitos gays nos EUA, depois de 39 anos juntos, o casal oficializa a relação com uma cerimônia de casamento em Manhattan, Nova York. A celebração acontece na escola católica em que George (Molina) dá aulas de música e, mesmo sendo homossexual assumido, acaba resultando na demissão do professor. Desta maneira, os dois são obrigados a vender o apartamento em que vivem e acabam tendo de viver separados temporariamente até acharem uma casa mais barata.

Pôster do filme
Divulgação
Pôster do filme "Love is Strange", do diretor Ira Sachs

Ben, então, passa a morar com a família de seu sobrinho e tem de dividir uma cama beliche com o filho dele, Joey. O garoto, interpretado por Charlie Tahan, não gosta nada do novo roommate e faz o possível para irritá-lo. Enquanto isso, George passa a viver com um casal de policiais no mesmo prédio em que morava antes. Esforçando-se para não ceder à dor da separação, os dois ainda precisam lidar com os dramas consequentes de seus novos colegas de casa.

SIGA O IGAY NO FACEBOOK

De acordo com o crítico Lou Lumenick, do New York Post, "'Love is Strange' merece ser assistido por suas duas estrelas, que são convincentes em mostrar a dor que os dois personagens sentem em se separar tão bem quanto se mantêm engraçados nos momentos em que as coisas parecem muito tristes".

Veja também outros personagens gays do cinema que ganharam a crítica:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.