Pais do artista de 31 anos ordenam desligamento dos aparelhos que o mantinham vivo no hospital. Ele fazia parte de grupo de gays que buscavam dimensão espiritual para sua sexualidade

Os arredores da rua Castro, endereço tradicional pelo histórico gay em São Franscisco, Califórnia, foi cenário de um espancamento brutal que resultou na morte de Bryan Higgins , 31. Na tarde de quarta (13), seus pais ordenaram o desligamento dos aparelhos que o mantinham vivo no hospital.

Ele foi encontrado em estado grave por passantes na manhã de domingo (10) na esquina das ruas Church e Duboce.  "Ele era um ser humano extremamente afetuoso", disse um amigo. "É insano pensar que alguém poderia machucá-lo." 

SIGA O IGAY NO FACEBOOK

Bryan, que era também chamado de Feather Lyn, fazia parte do grupo Radical Faeries, movimento de homens gays que buscavam uma dimensão espiritual para a sua sexualidade. 

Baseada em um video de segurança, a polícia vai tentar encontrar o suspeito e entender como aconteceu o ataque. Higgins deixa seu marido e sua família.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.