Ambiente característico do universo LGBT, a sauna gay é carregada de fetiches e virou cenário da web série literária “Vinicius no Mundo das Toalhas Brancas”

O produtor Fábio conta que busca prazer imediato na sauna
Arquivo pessoal
O produtor Fábio conta que busca prazer imediato na sauna

“O que me leva até a sauna é o tesão imediato.” É essa a resposta direta do produtor de arte Fabio Oliveira de Santana , 25. Hoje frequentador esporádico dos espaços, ele relata que ia com mais frequência quando era mais novo. Sua iniciação na sauna foi aos 18. “No começo era um fetiche mesmo, mas depois virou o lugar onde eu sabia que poderia ir para transar”, explica.

CURTA O IGAY NO FACEBOOK 

Sauna gay é uma definição e significa uma mistura de spa com balada. Frequentadas por homossexuais, as saunas gays existem em praticamente todo o mundo, com variações típicas de cada lugar. Os gays as frequentam com propósitos distintos.

“Posso te dizer que é um universo à parte", explica Fábio. "Ali você encontra do menino que está se descobrindo até os caras bem mais velhos. Sem contar todos os códigos de conduta”, diz ele. As saunas em que ele já esteve têm padrão parecido: os homens guardam seus pertences em armários ou nos quartos individuais e transitam pelo espaço nus, enrolados em toalhas e calçando chinelos fornecidos no local.

"A SAUNA GANHA SEMPRE"

Com o tempo, Fábio entendeu o significado de algumas atitudes. “Quando a toalha fica mais solta, em geral significa que o homem é ativo. Quando está mais colada, quase no umbigo, que é passivo”, ensina.

O funcionário público Gabriel *, 42, conta que hoje em dia vai uma vez por mês à sauna, mas já chegou a ir semanalmente. “Não tenho paciência pra boate, então entre virar a noite numa balada ou numa sauna, a sauna ganha sempre”, conta ele, que vai tanto sozinho como acompanhado do marido e de amigos. “Gosto muito de ir com quem nunca foi, para apresentar como é. O povo tem muito preconceito, mas quando vai, adora”, diz.

O TATO É O ÚNICO SENTIDO POSSÍVEL

Gabriel detalha um pouco mais como funciona o espaço da sauna. “Geralmente tem uma sauna seca e uma a vapor, chuveiros, uma hidro, piscina, e, claro, uma parte mais fetiche, composta de quartos, corredores, telas exibindo filmes pornô e os dark room”, explica ele, se referindo às salas escuras, onde o tato é o único sentido possível.

“Pra quem gosta de ver, a sauna é o espaço ideal. Os homens seminus, ou tomando banho pelados, já criam um clima. E lá que as fantasias se realizam, você pode apenas beijar, praticar sexo oral, sexo com mais de uma pessoa, apenas olhar, você que escolhe.”

Pra quem gosta de ver, é o espaço ideal. Os homens seminus, ou tomando banho pelados, já criam um clima. E lá que as fantasias se realizam, você pode apenas beijar, praticar sexo oral, sexo com mais de uma pessoa, apenas olhar, você que escolhe."

LINGUAGEM CORPORAL

O funcionário público explica que há algumas regras a serem obedecidas, e todas fazem parte de um código de conduta implícito. ”Não se fala muito e mesmo os mais jovens que vão em grupo acabam sendo mal vistos quando bagunçam", conta ele. "Existe uma linguagem corporal também. Uma encostada na parede ou uma mão na toalha já diz que está a fim. Uma olhada, um gesto com a cabeça, indica que quer ser seguido, e assim vai.”

Gabriel explica que nada é obrigatório: caso a pessoa não queria nada, basta se afastar. “Obvio que às vezes tem um sem noção que força a barra, mas é só sair de perto. Ter preservativos e lubrificantes sempre à mão também é bom”, conta ele. Os preservativos geralmente são distribuídos de graça nas saunas.

SEXO, DRINK E PAPO

Analista de sistema de 54 anos, João*  conta que começou a frequentar saunas em 1979, e praticamente nada mudou de lá para cá. Para ele, são três os propósitos de ir ao local. “Primeiro o sexo, em seguida tomar um drink e em terceiro um bom papo que pode te levar a conhecer alguém interessante.”

Veja fotos de uma sauna gay por dentro:

Frequentador mensal na juventude, passou a ir às saunas semanalmente de um tempo pra cá. “Não tem aquela canseira que se tem com os aplicativos. Percebo que tem o pessoal mais maduro que está buscando uma certa camaradagem entre homens. Gosto de ir também para fazer uma boa massagem. Em alguns casos pode rolar algo com o massagista, mas em geral é só massagem terapêutica mesmo”, revela, explicando o serviço oferecido por algumas casas.

Rafael Teixeira se debruça sobre o universo das saunas na web série literária 'Mundo das Toalhas Brancas'
Divulgação
Rafael Teixeira se debruça sobre o universo das saunas na web série literária 'Mundo das Toalhas Brancas'

É tão instigante o ambiente da sauna gay que Rafael Farias Teixeira , 28, usou o tema para criar a web série literária “Vinicius no Mundo das Toalhas Brancas”, postada em um site voltado ao público gay. “Minha ideia era retratar a vida de um jornalista acomodado que frequenta saunas. Pra mim as saunas são uma metáfora desse comodismo”, relata o escritor dos romances "Entre Irmãos" e "Sopro", ambos publicados pela Editora Desfecho.

É aceitável transar com alguém que você acaba de conhecer na balada. Mas transar com alguém que você encontra na sauna, ou até mesmo ir a uma, é mal visto." (Rafael)

“Um dos personagens encontra o protagonista, Fernando em 'Entre Irmãos', e explica que vai para a sauna pra se polir. Ele tem uma visão de que é um lugar sujo, escuro, cheio de segredos, e ultiliza isso como penitência para quem não é merecedor de um relacionamento. Mas essa percepção da sauna pode ser diferente para cada um”, explica Rafael, dizendo que também já frequentou os espaços.

Rafael acredita ainda que a sauna é uma representação concreta da relação conflituosa que o gay tem com sua sexualidade. “Ao mesmo tempo em que muitos querem explorar esse lado, com experiências efêmeras e hedonísticas, os gays brasileiros, pelo menos, são rápidos para julgar outros gays que fazem as mesmas escolhas. É aceitável transar com alguém que você acaba de conhecer na balada. Mas transar com alguém que você encontra na sauna, ou até mesmo ir a uma, é mal visto”, finaliza.

*Os nomes foram alterados a pedido dos entrevistados

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.