Sexo entre mulheres sempre tem penetração? Lésbicas fazem sexo anal? Especialistas respondem estas e outras questões

O sexo lésbico é permeado de dúvidas. A ausência do pênis, e a suposta não penetração, intriga especialmente os homens. Assim, depois de responder 16 questões sobre sexo gay , um time de especialistas esclarece as dúvidas mais frequentes sobre sexo entre mulheres.

ACOMPANHE O IGAY NO FACEBOOK 

A psicóloga, terapeuta sexual e educadora sexual Cida Lopes, a sexóloga Carla Cecarello e o dr. Jorge José Serapião, especialista em terapia sexual e membro da Associação de Ginecologia e Obstetrícia do Rio de Janeiro (SGORJ), foram os responsáveis pos responder as questões enviadas por leitores do iGay. Confira:

1. Existe penetração no sexo lésbico?
Essa é uma dúvida entre o público heterossexual, que fica pensando ‘o que será que as lésbicas fazem?’, principalmente o público masculino, onde a penetração é a grande satisfação. No sexo lésbico existe sim penetração, se o casal quiser, seja do dedo, seja de um dildo, mas ele não define a relação sexual.
Carla Cecarello, fundadora e coordenadora do projeto AmbSex

2. Um casal lésbico que usa dildo e acessórios que replicam o órgão masculino na verdade não está em busca de sexo com um homem?
De novo, não, uma coisa não tem nada a ver com outra; a mulher tem uma cavidade natural e às vezes carece de uma penetração, só isso. Homossexualidade é algo afetivo e sexual, não é apenas a atração por um pênis ou um órgão, tem a ver com sentimento e desejo.
Carla Cecarello

3. Durante a menstruação é possível o sexo lésbico?
Assim como em uma relação heterossexual, não existe nenhum tipo de impedimento: esta é uma escolha do casal. Algumas práticas não vão ser tão agradáveis quando a mulher estiver menstruada, como o sexo oral.
O indicado é que, caso a mulher esteja fazendo uso do absorvente interno, não se penetre, porque pode gerar um desconforto, porém as mãos ou o vibrador podem ser usados sem restrição para o estímulo clitoriano.
Dr. Jorge José Serapião, especialista em terapia sexual e membro da Associação de Ginecologia e Obstetrícia do Rio de Janeiro (SGORJ)

4. Quando a mulher não está com tesão é possível existir o sexo lésbico?
Quando não tem tesão não adianta, nem entre heterossexuais e nem entre homossexuais. Tesão é um combustível, não importa a orientação, a pessoa precisa se sentir atraída, estar a fim, para ter uma relação satisfatória. 
Carla Cecarello

5. Uma mulher consegue fingir orgasmo com outra?
Consegue. Tanto um homem quanto uma mulher consegue fingir, afinal  fingir orgasmo é fingir sensações, fazer barulhos, os movimento certos. A grande questão é avaliar o porquê de você estar fingindo e se quer estar nessa relação sem prazer efetivo. 
Cida Lopes, Psicóloga e terapeuta sexual e educadora sexual

6. Uma mulher tem orgasmo durante o sexo lésbico?
Sim, claro. O orgasmo pode se dar através do sexo oral, da estimulação clitoriana, pela própria penetração de objetos com o estímulo do clitóris por dentro. O ponto para a mulher atingir o orgasmo é o clitóris e vai da criatividade de cada uma para chegar nele. É importante lembrar que o corpo do clitóris fica pra dentro e é preciso estimulá-lo. A masturbação mútua também é uma boa opção para chegar lá.
Carla Cecarello

7. Existe ejaculação no sexo lésbico? 
A ejaculação feminina pode existir durante o sexo lésbico, mas ela é uma incógnita, a ciência não sabe dizer a razão de algumas mulheres ejacularem e outras não. A ejaculação acontece em uma minoria e independe dela ser hetero ou homossexual. Não se sabe qual a glândula é estimulada para que aconteça. Portanto não é bom transar esperarando que ela ocorra.
Carla Cecarello

8. Lésbicas fazem sexo anal?
Podem fazer se quiserem, no caso com a introdução de um objeto ou do dedo. O sexo anal é apenas mais uma forma de estímulo, o ânus é uma zona erógena e pode se fazer uso dela para sentir prazer.
Carla Cecarello

9. Quando uma mulher lésbica transa com um homem ela deixa de ser lésbica? Não, existem várias categorias entre a hetero e a homossexualidade. As que transam com o mesmo interesse com homens e mulheres pode ser consideradas bissexuais. Uma experiência homo ou hetero não significa que a preferência ou orientação mudou, é apenas uma experiência.
Cida Lopes

10. Caso não exista penetração por um longo período, uma lésbica pode ter problemas quando acontecer?
Não, principalmente se for uma mulher jovem. Nesse caso, ela não está mantendo relações com penetração, mas está sob o efeito das estimulações dos hormônios, tem o ciclo da menstruação, que exercita a musculatura vaginal, então não há problema. Se a mulher já passou da menopausa, seu nível de estrogênio está reduzido, o que provoca uma certa atrofia muscular. Aí, sim, pode haver algum desconforto.
Dr. Jorge José Serapião

Carla Cecarello foi uma das profissionais ouvidas pelo iGay sobre sexo lésbico
Divulgação
Carla Cecarello foi uma das profissionais ouvidas pelo iGay sobre sexo lésbico

11. Mulheres lésbicas pegam DSTs e Aids?
Sim, se na hora do sexo oral a parceira tiver alguma cárie ou lesão na boca, pode ter contato com a secreção vaginal e acabar contaminada.
Carla Cecarello

12. Que tipo de prevenção deve existir no sexo lésbico?
É preciso usar preservativo, feminino ou masculino. Em ambos os casos é preciso cortar a camisinha, abrir e fazer o sexo oral nele aberto.
Carla Cecarello

13. A camisinha feminina serve para mulheres lésbicas?
Sim, a camisinha feminina tem a função de evitar doenças e como papel secundário, evitar a gravidez. Se a mulher for penetrada por um objeto que foi penetrado na outra, uma transmissão de DST pode acontecer. O uso do preservativo impede isso. 
Carla Cecarello

14. Quais os cuidados que as mulheres devem tomar com unhas e dedos?

Tudo que pode ferir o outro é contra-indicado. É preciso ter cuidados básicos de higiene, e usar instrumentos que não são contundentes. No caso do uso dos instrumentos corretos (vibradores) é preciso usar o preservativo e mantê-lo higienizado.
Dr. Jorge José Serapião

15. Lésbicas precisam fazer o Papanicolau?
Todas as mulheres têm que fazer, sejam heterossexuais, homossexuais ou ausentes de sexo. Se um médico não recomenda o papanicolau, está dizendo que o determinante do câncer é apenas o HPV. Isso é incorreto.
Dr. Jorge José Serapião

Leia também: Lésbicas desmistificam sete mitos sobre orgasmo feminino

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.