Em cinco temporadas, série marcou ao representar a comunidade gay sem estereótipos e de maneira realista. Veja o que os atores protagonistas andaram fazendo nos últimos anos

A vida de um grupo de amigos gays de Pittsburgh, uma típica cidade média nos Estados Unidos. Simples, a premissa de “Queer as Folk” não dá conta de evidenciar a importância da série, que teve seu último episódio exibido há nove anos. Exibida originalmente nos Estados Unidos pelo canal Showtime e no Brasil pelo extinto Cinemax, o seriado marcou por apresentar pela primeira vez na TV o cotidiano de homossexuais sem apelar para estereótipos. Outra marca da atração foram as ousadas cenas de sexo exibidas sem o menor pudor.

CURTA O IGAY NO FACEBOOK 

Versão de uma série inglesa de mesmo nome, “Queer as Folk” ganhou o mundo e fez muito mais sucesso do que a produção original que a inspirou. Foram cinco temporadas acompanhando as aventuras e desventuras de Brian Kinney ( Gale Harold ), Justin Taylor ( Randy Harrison ), Emmett Honeycutt ( Peter Paige ), Michael Novotny ( Hal Sparks ) e Ted Schmidt ( Scott Lowell ).

Perfeitos para cada um dos cinco papéis de protagonistas, os atores viraram ídolos da comunidade LGBT mundial enquanto a série esteve no ar. Mas depois do fim de “Queer as Folk”, o quinteto não voltou a brilhar com a mesma intensidade, infelizmente. Para matar a saudade dos fãs, o iGay  mostra o que eles andaram fazendo neste nove anos.

Foram cinco temporadas acompanhando a relação, muitas vezes conturbada, de Brian e Justin
Divulgação
Foram cinco temporadas acompanhando a relação, muitas vezes conturbada, de Brian e Justin

GALE HAROLD - BRIAN KINNEY

De todo elenco, Gale foi quem conseguiu melhor se manter sob os holofotes. Nestes nove anos, ele fez várias participações em séries como “The Secret Circle” e “Grey’s Anatomy”. Em “Desperate Housewives”, o ator teve uma participação maior, atuando em mais de uma temporada e vivendo o namorado de uma das protagonistas.

Intérprete de um pegador profissional em “Queer as Folk”, Gale passou por uma dor de cabeça recentemente. Em fevereiro deste ano, ele teve que pedir uma ordem de restrição contra uma ex-namorada que o havia agredido com um cofre. Mesmo sendo heterossexual, o ator de 44 anos sempre foi um participante bastante ativo na causa LGBT.

RANDY HARRISON - JUSTIN TAYLOR

Já com 23 anos, o ator entrou na série para viver um adolescente se descobrindo homossexual. Mas ele só perdeu a cara de menino quando “Queer as Folk” estava chegando ao fim. A carreira dele na TV e no cinema não deslanchou muito depois disso. Mas no teatro, suas performances em peças como “Um Estranho no Ninho”, “À Margem da Vida” e "Equus" receberam críticas elogiosas e boa recepção do público. 

Em 2009, ele recebeu muitos elogios ao interpretar o artista plástico Andy Warhol no espetáculo “Pop”, produzida pela prestigiada Companhia de Teatro de Yale.

Assumidamente gay, ator é discreto a respeito de sua vida pessoal. O único relacionamento dele que se tornou público foi com o jornalista Simon Dumenco . Os dois se conheceram quando Simon o entrevistou para revista New York. Eles ficaram juntos de 2002 a 2008. Com 36 anos, Randy vive atualmente no Brooklin, em Nova York.

HAL SPARKS - MICHAEL NOVOTNY

Vivendo o eterno amigo apaixonado de Brian, Hal vivia o personagem mais boa-praça de “Queer as Folk”. Com o final da série, ele seguiu a carreira de ator fazendo participações em seriados como “CSI” e “Lab Rats” e em filmes como “Homem-Aranha 2” (2004).

Mas a vida profissional dele não se restringiu a atuação. Além de ter uma banda de heavy metal (The Hal Sparks Band), Hal também apresentou games shows e programa de variedades na TV a cabo americana. Heterossexual,  ele tem 44 anos.  

Quando estreou em 2000,
Divulgação
Quando estreou em 2000, "Queer as Folk" inovou ao mostrar o universo LGBT sem estereótipos e forma realista

PETER PAIGE - EMMETT HONEYCUTT

Sem dúvida o dono do papel mais engraçado do quinteto de protagonistas, Peter também interpretou o personagem com a vida profissional mais variada. Emmet trabalhou como vendedor, garçom, camareiro, planejador de festas, comentarista de TV e estrela pornô – sob o codinome Fetch Dixon.

Desde o fim de “Queer as Folk”, ele não parou atuar, fazendo muitas participações em inúmeras série de televisão. Ele também alcançou sucesso como roteirista de TV, sendo um dos criadores da série “The Fosters” (ABC Family), que conta a história de um casal de lésbicas com uma família multiétnica.

SCOTT LOWELL - TED SCHMIDT

Ted interpretou em “Queer as Folk” um personagem que sofreu uma grande virada, deixando de ser um pacato contador com baixa autoestima para se tornar um dependente químico. Quando ele deixou de viver Ted, sua carreira prosseguiu principalmente no teatro e na TV. No cinema, a atuação dele foi mais discreta.

O próximo grande trabalho dele será na peça "O Homem Elefante", que estreia na Broadway em outubro. No espetáculo, ele vai atuar ao lado do astro Bradley Cooper e da prestigiada atriz Patricia Clarkson .  Scott tem a vida mais discreta dos cinco, não dando pistas sobre sua vida pessoal. Ele tem 45 anos e vive em Chicago. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.