Vivendo um gay no armário no filme “Do Lado de Fora”, ator pede respeito ao amor entre as pessoas do mesmo sexo e o fim do preconceito homofóbico

André Bankoff é daqueles que chamam atenção de longe e não decepcionam quando chegam perto. Loiro, alto, boa forma invejável e olhos verdes, o ator não passa desapercebido. Mas se engana quem pensa que este paulista de Americana de 32 anos é só boa aparência física.

CURTA  O IGAY NO FACEBOOK 

Um dos protagonistas do filme “Do Lado de Fora”, em cartaz nos cinemas, André também tem consciência social e sabe se colocar no lugar de quem sofre preconceito por amar alguém do mesmo sexo, mesmo sendo heterossexual.

“O ser humano tem que abrir a cabeça. A gente não precisaria ir pra rua com manifestações para pedir respeito, amor ao próximo, se todos aceitassem o amor entre pessoas do mesmo sexo, que não há nada de errado nisso”, defende André, que participou de duas edições da Parada Gay de São Paulo.

Veja entrevista completa com André Bankoff: 

Na primeira, em 2013, ela participou do evento para gravar cenas de “Do Lado de Fora”, que conta a história de um grupo de amigos homossexuais não assumidos que faz um pacto para sair do armário em conjunto. Neste ano, ele foi à Parada Gay para divulgar o filme e também para apoiar a causa LGBT.

Roger, o papel do ator, tem uma história nada incomum, a chamada vida dupla gay e hétero. Casado com uma mulher, o vendedor vive um romance paralelo com Vicente ( Marcello Airoldi ). Para complicar a história, a mulher do personagem de André engravida no momento em que ele decide sair do armário.

André interpreta esta situação complicada com empenho, inclusive nas cenas de beijo e de nu com o personagem Vicente. “Não rolou tapa sexo, mas foi tranquilo. Só eu, o Airoldi, o câmera e o diretor. Não era nu frontal, só aparece minha bunda, então tá tudo certo”, brinca o ator.

No entanto, a cena que Roger sofre uma agressão por um grupo de homofóbicos mexeu com André. “Quando a gente vê a noticia no jornal, não te atinge porque não está perto de você. Com o meu personagem, vi que é grande o preconceito. Parece que você tem de pedir ‘Pelo amor de Deus, me aceita. Me deixa viver’. É triste, é o fim viver em um mundo desse em um País com tanto preconceito”, desabafa André, que vê os pequenos atos como uma chance de mudar esta situação.

Divulgação
"Do Lado de Fora" mostra grupo de amigos homossexuais não assumidos que faz um pacto para sair do armário em conjunto


Engajado, André faz sua parte na questão da carência social. Na última semana, uma sessão de sua peça, “Não Existe Mulher Difícil”, teve sua renda totalmente revertida para uma ONG que cuida de crianças com câncer. O espetáculo está em cartaz no teatro Frei Caneca, todas as quintas-feiras, às 21h30.

Veja no vídeo acima a entrevista completa com André Bankoff.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.