Assim como o jovem do Rio que interrompeu show de Sandy para fazer um pedido de namoro, homossexuais adotam gestos cinematográficos para marcar relacionamentos

No último fim de semana, os espectadores que foram ao show de Sandy no Rio de Janeiro, numa casa de espetáculos no Parque do Flamengo, se surpreenderam com uma interrupção romântica. A cantora parou a apresentação para que o estudante Marvin Rodrigues , 22, pudesse pedir o analista de marketing Raphael Fortini , 24, em namoro . O pedido com ares cinematográficos foi o desfecho de uma bem-sucedida campanha que Marvin promoveu em redes sociais, por meio da hashtag #SandyDigaSim. Assim como eles, outros casais têm escolhido essa maneira  para marcar momentos importantes de seus relacionamentos.  

“Ele merecia algo marcante, não um simples jantar com um cartão e um pedido”, justifica Marvin, que ficou duplamente feliz com resultado da campanha. Além de ouvir o ‘sim’ do agora oficialmente namorado, ele também pode ver sua ídolo Sandy participar de um momento importante de sua vida.

CURTA O IGAY NO FACEBOOK 

Para não estragar a surpresa, os amigos de Rafael nas redes sociais não postaram nada referente à cantora para não chamar a atenção dele. Jurando de pé junto que não ficou sabendo de nada antes, o analista de marketing lembra com entusiasmo do pedido. “Senti muita emoção na hora, nunca imaginei um pedido de namoro tão surpreendente. Quando eu o abracei, percebi que meu lugar era ali, ao lado dele. O coração disparou, as mãos tremiam, as lágrimas vieram e tudo se misturou em algo forte”


Eles se conheceram no final do ano passado no aplicativo de encontros Tinder. Apesar do pouco tempo de relacionamento, os dois já projetam viver muito tempo juntos. “Eu esperei o Marvin durante toda a minha vida e ele tem tudo que eu sempre busquei em um companheiro”, revela o analista de marketing, que ouve uma declaração não menos apaixonada do parceiro. “Ele é o meu presente, meu milagre de Natal”, se derrete o estudante.

QUIZ  DO MOZÃO NA PRAIA

O gerente de conteúdo João Geraldo da Silva Netto , 31, não mediu esforços para tornar inesquecível o pedido de casamento ao namorado André Moreira , 30. Primeiro, ele levou o parceiro para Ilha Grande, na região sul do Estado do Rio, em agosto de 2011. Lá, João apresentou ao amado um vídeo que era uma bem produzida paródia do famoso programa “Show do Milhão” de Silvio Santos . No “Show do Mozão”, André tinha que responder perguntas sobre o relacionamento do casal.

A pergunta final do quiz era o pedido de casamento, que foi aceito por um André se derramando em lágrimas. “Foi maravilhoso receber uma aliança de compromisso e um pedido de casamento da maneira que foi feito, no local em que foi feito. Não tinha como dizer não”, admite. O detalhe é que todas as reações do namorado estavam sendo gravadas por João, que tinha uma câmera nas mãos e outra na mochila.

“Foi uma mistura de felicidade e satisfação. Eu estava emocionado por vê-lo tão feliz assim”, recorda João, que mais de dois anos depois, vai se casar com André no próximo dia 14 de abril. Obviamente, o matrimônio não será algo simples. Eles vão se unir num castelo da cidade de Petrópolis. “O chamo de príncipe, não poderia haver melhor lugar”, explica João.

FLASH MOB EXAGERADO E APAIXONADO

Numa tarde de março de 2013, o administrador de empresas Daniel Simas , 33, foi a um restaurante em Maringá, no Paraná, para participar do aniversário de uma colega de trabalho do namorado, o arquiteto Gabriel Vecchi , 25. Mal sabia ele que a suposta reunião descompromissada de amigos era apenas um pretexto para um pedido de casamento.

De repente, sem Daniel ter pista do que ia acontecer, Gabriel e os amigos começaram a dançar a canção “Exagerado”, sucesso de Cazuza . O arquiteto só se deu conta do que estava acontecendo quando viu o namorado meio da turma.


“Fiquei pensando: ‘O que eu tenho que fazer? As pessoas estão olhando para mim. Será que eu levanto e danço também?’ É um misto de emoções. Eu queria prestar atenção em cada detalhe para não esquecer nada. E eu só conseguia rir, achava tudo engraçado, porque Gabriel não é lá um bom dançarino. Fiquei imaginando como será que ele aprendeu aquilo tudo”, relata Daniel.

E não foi fácil mesmo para Gabriel dar todos aqueles passos. Com apoio das primas, que são donas de uma academia de dança, ele passou um mês ensaiando a coreografia para fazer o flash mob. Um tio do arquiteto foi o responsável pela contratação da equipe de vídeo, que posicionou as câmeras de uma forma que ficassem discretas no local.

Juntos desde 2011, os dois pensam em se casar no máximo até o ano que vem. “Daniel é mais que meu namorado ou futuro marido. Moramos juntos, trabalhamos juntos, vivemos juntos. Não consigo imaginar minha vida sem ele”, afirma Gabriel. A única dúvida que eles têm é a respeito da cerimônia. O administrador quer algo simples e íntimo. Já o arquiteto, como era de se esperar, quer um festão para muitos convidados.

UM VINHO E DUAS ALIANÇAS, POR FAVOR

Quando Supremo Tribunal Federal reconheceu, em 2011, o direito à união estável com a possibilidade de conversão em casamento civil, o arquiteto André Piva imaginou que o esperado pedido ia finalmente acontecer, especialmente pelo fato do parceiro ser um ativista LGBT. Assim, ele resolveu se antecipar e surpreender o estilista e dirigente da Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual (CEDS) da Prefeitura do Rio, Carlos Tufvesson .

“Ele sempre brincou comigo que eu não queria casar com ele. Mas como não tinha nem união estável, eu não queria uma coisa de brincadeira. Quando saiu a decisão da Justiça, eu pensei: ‘Vou pedir antes que ele peça’”, lembra Piva. A surpresa aconteceu num restaurante, no Dia dos Namorados daquele ano. O arquiteto contou com a ajuda dos funcionários do estabelecimento.

Para pedir Carlos Tufvesson em casamento, André Piva contou com ajuda dos garços de um restaurante
Divulgação
Para pedir Carlos Tufvesson em casamento, André Piva contou com ajuda dos garços de um restaurante


Durante o jantar, foi servido um vinho que o arquiteto levou. Quando Carlos tomou a iniciativa de pedir a bebida, o garçom, dentro da brincadeira, não atendeu o pedido.

“Eu insistia e ele nada, fiquei revoltado. Aí ele vira para o André e diz: ‘Senhor André, posso trazer a bebida?’ Daí fiquei mais puto ainda e reclamei: “Quem manda aqui é só ele? Eu só faço figuração?”, lembra às gargalhadas, o estilista.

A garrafa finalmente chegou e com ela duas alianças amarradas. Foi a deixa para o estilista ser pedido em casamento pelo arquiteto. Os clientes do restaurante perceberam e aplaudiram a cena. O casamento foi marcado inicialmente para o dia 14 de novembro de 2011, dia do aniversário de André. Mas em um caso que ganhou repercussão na imprensa, o juiz negou o pedido de conversão da união estável em casamento civil. A festa mesmo assim acabou acontecendo para 700 convidados no Museu de Arte Moderna do Rio.

Com a aprovação do casamento civil do Conselho Nacional de Justiça no ano passado, a união de André e Carlos foi oficialmente oficializada em 21 de setembro de 2013. “Foi a celebração de uma união de 18 anos e também de uma vitória de uma longa luta”, constata o estilista.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.