A gente já gostava dela faz tempo, mas só agora Kylie Minogue assume posição de diva gay. Gaga não perdeu seus fãs mesmo com fracasso comercial. Com tanta movimentação, quem se mantém e quem perde o posto?

Com quase 30 anos de carreira, a australiana  Kylie Minogue é a mais nova favorita do público gay. Ela, que aparentemente acabou de se dar conta disso, quer o nosso apoio. Para agradar a gregos e troianos, fez uma versão voltada para os meninos de seu novo single, "Sexercize", depois de o clipe oficial trazer cenas quentes entre garotas, entre elas a própria cantora. Em entrevista para a revista norte americana "Advocate", ela afirmou: “Eu não sabia que ia virar um ícone gay” .

Lady Gaga parece ter sido criada com esse propósito. Cheia de referências LGBT, a carreira da cantora americana já defendia a diversidade sexual quando, em 2011, lançou “Born This Way”, que se tornou rapidamente um hino sobre aceitação.

CURTA O IGAY NO FACEBOOK 

“Artpop”, sua mais recente incursão no showbizz, enfrentou críticas negativas e teve vendas abaixo do esperado. No último dia 22 de março, Gaga lançou a versão estendida do single "G.U.Y" . Com quase 12 minutos de duração, acumulou cerca de 20 milhões de visualizações até a última sexta-feira (28). Apesar de expressivo, o número ficou muito aquém dos 127 milhões de visualizações de “Born This Way”, e mais ainda dos 575 milhões de “Bad Romance”, lançado em 2009. Será que Gaga está perdendo o seu reinado?

Independente dos números alcançados, a cantora tem fãs muito fieis, que se autodenominam “Little Monsters” e a defendem como a maior das divas gays do momento. Os KatyCats, como são chamados os fãs da cantora americana  Katy Perry , entram em conflito com os Little Monsters e defendem uma posição que acreditam pertencer à sua musa.

"Você vai me ouvir rugir"

Inicialmente, Katy Perry não tinha muito apelo para o público gay, mas desde que lançou o hit “I Kissed a Girl”, em 2008, se transformou imediatamente em musa lésbica. Mesmo direcionando a carreira para um lado mais fofo e optando por uma estética colorida de contos infantis, voltou a se destacar em 2013 com “Roar” e seu refrão superação: “Eu tenho o olho do tigre, de uma lutadora dançando no fogo. Porque sou uma campeã e você vai me ouvir rugir”.

Bey & Brit

Quem também tem uma legião de fãs com denominação específica é a americana Beyoncé . Os Beyhives são meninos e meninas que se encantam pela voz potente e atitude energética da mulher do rapper Jay-Z. Com o single “Run The World (Girls)”, lançado em 2011, a diva fez todo mundo decorar sua coreografia para dançar na balada.

Coreografias sempre fizeram parte do show de Britney Spears , outra cantora que, assim como Beyoncé, aposta alto na dança. No showbiz desde menina, Britney alcançou o estrelato com o hit “Hit me Baby One More Time”, em 1999. Hoje, 15 anos depois, com uma carreira repleta de altos e baixos, ela segue apostando em canções feitas para sensualizar e se divertir. Os gays adoram.

Cher, diva gay com 50 anos de carreira
Reuters
Cher, diva gay com 50 anos de carreira

Divas eternas?

Quando o assunto é diva gay, quem não pode ficar de fora da lista das preferidas é a Rainha do pop, Madonna . Com 32 anos de carreira, mais tempo do que a vida inteira da maioria de seus fãs, a cantora é uma revolução constante, e por isso não sai de cena. Discos como “Like a Virgin” (1984), “Like a Prayer” (1989), “Erotika” (1992) e “Music” (2000) são consagrados como alguns dos melhores da música pop. Uma verdadeira performer, Madonna sabe abraçar causas, fazer aparições na hora certa, chocar e se divertir como nenhuma outra.

Outra diva clássica do público gay é Cher . Com uma carreira que já se estende por 50 anos, Cher assinou seu primeiro contrato em 1964 e se desdobrou entre a música e o cinema. Ganhou até um Oscar de melhor atriz, em 1989, por “O Feitiço da Lua”. I

dolatrada e imitada pelas drag queens do mundo todo - não há um show de transformismo que não tenha uma Cher -, é a responsável por um dos mais marcantes hinos da comunidade gay, “Believe”, lançado em 1998. Em 2013 Cher lançou “Closer to the Truth”, sempre apoiando causas gay. Ela é mãe de Chaz Bono, transhomem que nasceu Chastity, sua única filha com o marido e parceiro musical, Sonny Bono. 

E para você: quem é a diva gay de sua preferência?



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.