Produções nacionais"Hoje Eu Quero Voltar Sozinho" e "Praia do Futuro" estão entre os 12 filmes de temática LGBT que se destacam no evento cinematográfico na capital alemã

Mostrando um romance entre dois adolescentes,  “Hoje Eu Quero Voltar Sozinho” é uma das produções mais aguardadas do cinema nacional para este ano de 2014. Dirigido por Daniel Ribeiro, o filme chega às telas brasileiras no dia 28 de março. Mas antes disso, o longa faz sua estreia mundial na próxima segunda-feira (10) no prestigiado Festival de Berlim, na mostra Panorama, que é paralela a principal, a Bernilale.   

CURTA O IGAY NO FACEBOOK 

O longa brasileiro pode sair de Berlim com o mais importante prêmio para filmes de temática LGBT do mundo, o Teddy. Mas o páreo será duro, já que Berlim costuma reunir o que há de mais importante neste gênero no mundo.

Derivado do curta “Não Quero Voltar Sozinho” (2010), o filme de Ribeiro conta a história do menino cego Leonardo ( Guilherme Lobo ), que se divide entre a melhor amiga Giovanna ( Tess Amorim ), secretamente apaixonada por ele, e o colega de escola Gabriel ( Fabio Audi ), por quem Leo se apaixona, despertando a sua homossexualidade.   

Veja trailer de “Hoje Eu Quero Voltar Sozinho”:

A concorrência para “Hoje Eu Quero Voltar Sozinho” vem do próprio Brasil, com o longa "Praia do Futuro", que concorre ao Teddy, mas também ao prêmio principal de Berlim, o Urso de Ouro.

No longa dirigido por  Karin Aïnouz , o astro Wagner Moura  vive o salva-vidas Donato, que conhece e desenvolve uma forte conexão com o turista alemão Konrad ( Clemens Schik ) na praia de Fortaleza que dá título ao filme.  

O programa do Teddy descreve a relação deles como uma "atração física inicial que rapidamente se torna um laço profundo". Essa conexão se desenvolve em Berlim, onde Donato vai atrás de Konrad.    

ESTADOS UNIDOS LGBT

Da terra do Tio Sam, a 64ª edição do Festival de Berlim traz três filmes com temática LGBT. O primeiro deles é “Love Is Stranger”, do diretor Ira Sachs , que levou o Teddy em 2012 com o longa “Keep The Lights On”. Na trama, Ben ( John Lithgow ) e George ( Alfred Molina ) formam um casal Nova York que decide se casar oficialmente depois de 39 anos de união.  O roteiro é do brasileiro Mauricio Zacharias , responsável por “Madame Satã” (2002).

Já “Test” trata da epidemia da AIDS na década de 80, tendo como pano de fundo o dia a dia de uma companhia de dança da cidade americana de São Francisco.  O longa tem direção de Chris Mason Johnson .

Completa o trio de produções americanas o documentário de Frank Keraudren  “The Dog”, que demorou mais de 10 anos para ficar pronto. O filme retrata a vida de John Wojtowicz , que tentou roubar um banco em Nova York, em 1972, para conseguir dinheiro para seu parceiro fazer uma mudança de sexo. Essa história ficou famosa em 1975, ao ser contada no filme “Um Dia de Cão”, estrelado por Al Pacino

O AMOR E A ARTE DE SAINT LAURENT

Outro filme bastante aguardado que será exibido em Berlim é a produção francesa “Yves Saint Laurent”, uma cinebiografia do estilista que dá nome ao longa, responsável por revolucionar a moda mundial com suas criações, como o smoking feminino e a coleção inspirada no pintor holandês Mondrian

Companheiro do estilista por décadas,  o empresário Pierre Bergé  admitiu à bíblia fashion WWD que ficou impressionado e emocionado com a atuação do jovem ator francês  Pierre Niney, que interpreta  Yves Saint Lauret .

Sob a direção de Jalil Lespert , o filme se debruça sobre dois momentos fundamentais na vida do estilista, nos anos 50, quando ele era assistente do mestre da alta-costura Christian Dior . Quando o então patrão morre, Saint Laurent é obrigado a assumir repentinamente a marca Dior, exercendo a missão com brilhantismo. Na mesma época, ele conhece Bergé, o grande amor de sua vida.  “Yves Saint Laurent” chegas às telas nacionais no próximo dia 4 de abril. 

Divulgação
"Yves Saint Laurent" mostra o início da brilhante carreira do estilista franco-argelino que dá nome ao filme


ALEMANHA, SUÍÇA E ÁSIA

Do país natal do festival vem um dos filmes mais interessantes a ser exibido em Berlim. A produção alemã “Fuking Different XXY” traz sete cineastas transexuais de todo mundo para realizar curta metragens sobre o transexualidade. 

Entre outros, o longa traz mostra a perspectiva do ator pornô transhomem Buck Angel e dos artistas experimentais Jackie Baier e Gwen Haworth . A ideia é quebrar estereótipos , criar confusão e celebrar a diversidade, como o próprio filme propõe. 

Programa dos filmes concorrentes ao Teddy
Divulgação
Programa dos filmes concorrentes ao Teddy

Coproduzida por Alemanha e Hungria, “Land of Storms” chama a atenção  por tratar da homossexualidade em dois ambientes conhecidamente homofobicos: o esporte e cidades interioranas.

A trama acompanha a vida de Szabolcs ( András Sütö ), um jovem jogador de futebol que retorna para sua pequena cidade após um desentendimento com o amigo de time Bernard ( Sebastian Urzendowsky ).

Em sua pequena cidade, Szabolcs passa a se relacionar com Áron ( Ádám Varga ) e tem de enfrentar o preconceito, inclusive de sua mãe. Com a chegada de Bernard, a trama fica ainda mais complexa com a formação de um relacionamento a três.

O suíço “The Circle” mescla ficção e documentário, ao  contar a história do clube Der Kreis, fundado no início da década de 40. O espaço  foi o único a sobreviver ao regime nazista na Alemanha. O local se tornou uma renomada casa undergroud no pós-guerra em Zurique. 

Completam aind a lista longas de destaque em Berlim a produção “Happy To Be Different”, da Itália, “Night Flight”, da Coreia, e “Unfriend”, das Filipinas.

O Festival de Berlim terá ainda uma homenagem ao ator Phillip Seymour Hoffman , morto recentemente. A mostra reexibe um longa estrelado por ele, "Capote". A cinebiografia do escritor gay norte-americano Truman Capote

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.