Para filósofo Luiz Felipe Pondé, emissora acertou ao exibir beijo gay entre homens neste ano


A exibição do beijo gay entre Félix ( Mateus Solano ) e Niko ( Tiago Fragoso ) na novela "Amor à Vida" nesta sexta-feira (31), na Rede Globo, representou a vitória dos homessexuais em uma sociedade "extremamente" conservadora, segundo os filósofos Renato Janine Ribeiro e Luiz Felipe Pondé , em entrevista ao iG.

"O beijo representa a mudança de atitude do brasileiro. Vi vários relatos de pessoas comemorando o final da novela como se fosse um gol. São brasileiros contentes com o ganho de maturidade da sociedade", avalia Ribeiro.

Para Pondé, professor da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), a novela "Amor à Vida" mostrou que a revolução gay está avançada e que os homossexuais estão ganhando espaço na sociedade contemporânea: "A população está mudando. A vitória dos gays é a vitória do capitalismo."

Os filósofos, contudo, discordam que o beijo gay exibido da novela da emissora com maior audiência no País terá reflexo a longo prazo no dia a dia dos brasileiros.

Na avaliação de Ribeiro, professor da Universidade de São Paulo (USP), os homossexuais ficarão mais confiantes por terem sido retratados em horário nobre.

"Os gays não estão mais forçados a entrar em um figurino que não é deles. Quando você reforça o direito de que as pessoas podem ser como são, é sempre positivo", afirma.

Após o beijo gay entre as atrizes Luciana Vendramini e Gisele Tigre, exibido em uma novela do SBT, Pondé vê a repercussão da relação de Félix com Niko como temporária. 

"A indendência dos homossexuais já foi feita. A novela é uma benção popular global. Logo virão outros beijos e talvez até casais homossexuais transando em horário nobre", considera ele, ponderando que a TV Globo tem muito mais audiência que o SBT.

Já passou da hora de um beijo gay ser exibido em horário nobre para a relação entre os homossexuais se banalizar. Tudo que é normal é banal

O final da novela, momento em que César — pai de Félix — revela o amor que sente pelo filho, foi para os filósofos a conclusão ideal para o folhetim. "O pai de Félix foi a Globo dizendo: aceite seu filho gay, ele não merece sofrer", analisa Pondé.

Para o filósofo, a exibição do beijo em 2014 ocorreu no tempo correto. "A emissora foi cuidadosa para perceber que o público já estava disposto a flertar com essa ideia."

Ribeiro, da USP, discorda: "Já passou da hora de um beijo gay ser exibido em horário nobre para a relação entre os homossexuais se banalizar. Tudo que é normal, é banal."

Relembre na galeria de fotos os beijos gays da televisão.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.