Ator da série de filmes "Star Trek" acredita que é preciso tomar medidas duras contra o governo de Vladimir Putin

AP

 O ator Chris Pine criticou duramente as leis antigays aprovadas na Rússia no ano passado. O astro da série de filmes "Star Trek"  classificou o comportamento dos lesgiladores russos como "claramente horrível, arcaico, absurdo e hostil". 

CURTA O IGAY NO FACEBOOK 

Ele deu essa declaração durante o lançamento do seu novo filme, "Operação Sombra - Jack Ryan", na última quarta-feira (15), em Los Angeles.

"Eu acho que devemos fazer mais do que apenas enviar atletas gays ganhadores de medalhas olímpicas", defendeu o ator, citando a iniciativa do governo americano de mandar esportistas homossexuais para as Olimpíadas de Sochi, em fevereiro, na Rússia.

''O que está acontecendo lá em termos de direitos dos homossexuais ou a falta deles é extraordinário e terrível", completou Pine.

Num gesto considerada como um protesto, o presidente americano Barack Obama vai enviar ex-atletas olímpicos abertamente homossexuais Billie Jean King , Brian Boitano e Caitlin Cahow à cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Sochi, no dia sete de fevereiro.

Com suas declarações, Pine se juntou ao time de personalidades que têm criticado a chamada lei sobre a "propaganda homossexual", que criminaliza a manifestação pública de apoio às relações não-tradicionais, assim como as demonstrações públicas de afeto entre pessoas do mesmo sexo. 

Em "Operação Sombra - Jack Ryan",  que entra em cartaz nesta sexta-feira (17) nos EUA e em sete de fevereiro no Brasil, o personagem de Pine tenta impedir um poderoso magnata russo da tecnologia de atacar o solo americano.  



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.