Preço dos aluguéis varia de R$ 432 a R$ 1699 por mês, a cobrança é de acordo com a renda de cada pessoa, que não pode ultrapassar o valor de R$ 75 mil ao ano.

AP

A abertura de um complexo de habitacional de preços acessíveis para lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros idosos no centro da cidade de Filadélfia (EUA) atende a uma antiga reinvindicação do movimento LGBT, que vê os homossexuais mais velhos como marginalizados por uma cultura e por uma sociedade que celebra a juventude.

CURTA O IGAY NO FACEBOOK 

Especialistas dizem que os idosos gays são menos propensos do que seus pares heterossexuais a ter recursos financeiros próprios ou familiares para terem casas próprias na velhice. Muitos deles ainda temem ser discriminados nas casas de repouso tradicionais, os levando de volta para o armário num ambiente predominantemente heterossexual.

Nos Estados Unidos, a Filadélfia se junta a Los Angeles e a Minneapolis como cidades que dispõem deste tipo habitação gay-friendly, que dispõem de duzentos quartos. Mais dois complexos deste tipo estão em construção em Chicago e San Francisco.

Mas ativistas do movimento gay dizem que essas unidades estão longe de ser suficiente para atender todos os idosos nesta situação. Estudos apontam que o número de idosos gays nos EUA deverá dobrar e chegar a 3 milhões em 2030 .

“Esse problema de habitação pode diminuir no futuro com legalização do casamento gay, já que os cônjuges do mesmo sexo vão poder herdar propriedade e os benefícios dos seus parceiros”, avalia Catherine Thurston,  diretora da Sage, uma entidade de Nova York que atende a população idosa LGBT.

Embora a legislação americana contra discriminação proíba habitações exclusivamente para a população LGBT, os edifícios acabam tendo este caráter por conta de sua localização e do marketing com o qual eles são oferecidos ao público. Erguido ao custo de R$ 44 milhões, o edifício na Filadélfia está localizado num bairro de população predominantemente gay.

O prédio foi erguido ao custo de R$ 44 milhões e tem 200 quartos. Os preços dos aluguéis variam de R$ 432 a R$ 1699 por mês, a cobrança é de acordo com a renda de cada pessoa
AP
O prédio foi erguido ao custo de R$ 44 milhões e tem 200 quartos. Os preços dos aluguéis variam de R$ 432 a R$ 1699 por mês, a cobrança é de acordo com a renda de cada pessoa


“Esses idosos pertencem a uma geração que trilhou o caminho de luta pelos direitos dos homossexuais”, explica Mark Segal, presidente do Dr. Magnus Hirschfeld Fund, que ergueu o empreendimento. O executivo acredita que o ativismo intenso teve como custo negativo a perda de laços familiares ou mesmo a oportunidade de ter empregos tradicionais, que resultam nos tradicionais benefícios de aposentadoria.

"Por que essas pessoas pioneiras do movimento não têm direito de viver com dignidade? É ultrajante”, questiona Segal. "Temos que ter cuidado com os nossos, ninguém está fazendo isso", completa ele.

No edifício da Filadélfia, aluguéis mensais variam de R$ 432 a R$ 1699, a cobrança varia de acordo com a renda de cada pessoa, mas ela não pode ultrapassar o valor de R$ 75 mil ao ano. Quase todos os moradores de lá se identificam como LGBT.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.