Atriz inglesa contou em entrevista à revista "The Advocate" que ainda não fez papel de lésbica por falta de oportunidade, que seus fãs gays trazem "orgulho e felicidade" e que foi criada com um tio e dois padrinhos gays. "Eles me fizeram questionar todos os padrões morais e religiosos"

Sandra Bullock e Emma Thompson no AFI Awards em Beverly Hills. Elas vão se encontrar em muitas premiações nesta temporada, disputando o prêmio de melhor atriz
Reprodução/Mail Online
Sandra Bullock e Emma Thompson no AFI Awards em Beverly Hills. Elas vão se encontrar em muitas premiações nesta temporada, disputando o prêmio de melhor atriz

Como uma boa atriz inglesa, Emma Thompson tem talento de sobra e um senso de humor peculiar. Ao lado de Tom Hanks no filme “Saving Mr. Banks”, ou "Walt nos Bastidores de Mary Poppins", que estreia dia 7 de fevereiro no Brasil, ela repete sua dobradinha genialidade-geniosidade.

O filme conta como a obra de P.L.Travers (Thompson) virou filme na mão de Walt Disney (Hanks), não antes sem enfrentar a resistência e os obstáculos criados pela personalidade forte e por vezes impossível da criadora da freira voadora. Pelo papel, Thompson concorre ao prêmio de melhor atriz no Globo de Ouro, que acontece neste domingo (12), contra sua amiga Sandra Bullock , que disputa pela interpretação da austronauta Ryan Stone em "Gravidade". As outras concorrentes são Cate Blanchett , Judi Dench e Kate Winslet .

Apesar de não ser citada no filme, a possível bissexualidade de Travers – que nunca se casou e viveu com uma amiga próxima durante muito tempo – foi abordada em uma entrevista que a atriz deu para a revista gay americana “The Advocate”.

“Não sei se elas eram amantes ou não, mas é certo que Travers teve relacionamentos complexos tanto com homens quanto com mulheres. Ela era uma exploradora de sua condição humana, e muito provavelmente também de sua sexualidade”, disse ela. E completou: “O filme é sobre a vida criativa e artística de uma mulher. E quando um filme sobre uma mulher não envolve também sua vida amorosa?”

Sobre porque nunca fez um papel lésbico em sua carreira, ela disse: “Ninguém ainda me apresentou um papel realmente interessante, mas tenho certeza de que isso vai acontecer.”

Ninguém ainda me apresentou um papel lésbico realmente interessante, mas tenho certeza de que isso vai acontecer."

Emma diz que sempre teve ligação com a comunidade LGBT, porque sempre se sentiu uma outsider, “como acredito que todos os atores e qualquer um envolvido com as artes deve ser”, e porque teve desde cedo contato com um tio e dois padrinhos gays. “Fui criada parcialmente por esses homens maravilhosos e admiráveis, e eles me fizeram questionar todos os padrões morais e religiosos.”

Sobre a parcela gay de seus fãs, ela considera “uma fonte de muito orgulho e felicidade. O apoio deles é muito forte, e meu apoio a eles é muito concreto e profundo.”

Sandra Bullock e Emma Thompson na entrega do prêmio AFI em Beverly Hills dia 10 de janeiro
Reprodução/Mail online
Sandra Bullock e Emma Thompson na entrega do prêmio AFI em Beverly Hills dia 10 de janeiro

E, considerando que seu dia de interpretar uma lésbica há de chegar, a revista pediu que ela escolhesse uma atriz para ser o seu par romântico dos sonhos. Ela riu: “Ah, tem tantas mulheres lindas... Bem, eu encontrei Sandy Bullock em uma premiação alguns anos atrás e ela me disse: ‘Se eu fosse gay, você seria minha mulher.’ E eu disse: ‘Estou aqui!’”

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.