Sucessor de Steve Jobs, tem se mostrado uma das grandes vozes nas lutas pelos direitos igualitários e clama agora por lei que resguarde LGBTs nas empresas

Tim Cook, presidente da Apple pediu aprovação da lei contra descriminação de LGBTs nas empresas
Getty Images
Tim Cook, presidente da Apple pediu aprovação da lei contra descriminação de LGBTs nas empresas

Um discurso que Tim Cook , presidente da Apple, deu no dia 10 de dezembro se tornou um viral nesta última semana. Na ocasião, o empresário pediu a aprovação do projeto de lei que proíbe empresas norte-americanas de discriminar funcionários por sua orientação sexual ou identidade de gênero. 

CURTA O IGAY  NO FACEBOOK  

O Ato de Não Discriminação no Emprego (Enda, na sigla em inglês), é uma lei que impede o preconceito na contratação e no trabalho. “Está na hora de escrever esses princípios básicos da dignidade humana na lei”, afirmou Tim em seu discurso na Universidade Auburn, onde estudou.

O Enda é apresentado ao Congresso americano desde 1994 e sempre foi engavetado, retornando à pauta em abril. Há um mês foi aprovado no Senado e será agora votado pela Câmara.

Não foi a primeira vez que Tim manifestou seu apoio pela aprovação da lei, em novembro, em num artigo no jornal The Wall Street Journal argumentou que a diversidade é boa para um negócio porque, se as pessoas se sentem valorizadas pelo que são, elas têm um melhor desempenho profissional.

Durante o discurso, Tim falou sobre sua própria experiência como homossexual: “ Cresci no Alabama nos anos 1960 e vi o impacto devastador da discriminação. Vi uma cruz ser queimada no jardim de uma família por causa de sua cor de pele. A imagem ficou para sempre em minha mente”, contou.

O presidente contou ainda que sofreu preconceito: “Vi e experimentei muitos outros tipos de discriminação, todos baseados no medo de pessoas diferentes da maioria”, completou.

Tim Cook está na Apple há 15 anos e é engenheiro industrial e foi promovido a diretor de operações, cargo mais importante depois da presidência, em 2007. Em 2011, substituiu Steve Jobs, vítima de câncer.

Sobre a Apple, o empresário informou que empresa é um ambiente livre de preconceitos: “Encontrei uma empresa que protegeu funcionários da discriminação antes mesmo da lei”, disse ele. A companhia foi uma das primeiras a estender benefícios de empregados gays a seus parceiros e a cobrir cuidados médicos necessários à mudança de sexo nos planos de saúde.

Confira na integra o discurso de Tim Cook:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.