"Mais vibrador por favor" é o slogan da loja online em que a dona, a publicitária gay Márcia Soares, dá orientação pra as consumidoras e um selo de aprovação para produtos testados

No quarto de Marcia Soares , de 29 anos, nada é o que parece. Um fofo patinho de borracha, desses que as crianças usam para brincar na banheira, enfeita a prateleira perto da porta de entrada. Um pincel de blush e um rímel estão de bobeira por ali também. Um tipo de garrafa térmica fica disposta ao lado da tela do computador. Tudo seria perfeitamente “normal” se o patinho, o pincel e até o rímel não fossem vibradores, e a suposta garrafa térmica não se tratasse na verdade de um masturbador para homens.

CURTA O IGAY NO FACEBOOK  

É no imóvel localizado na Tijuca, no Rio de Janeiro, que Marcia dirige a sex shop online theLvibe , nome inspirado na série gay “The L Word”. O portal, que começou em setembro de 2010, foi criado pela publicitária e sua sócia, Verônica Vaz , de 25 anos, que vem a ser também sua ex-namorada. “Eu tenho esse histórico de tentar ter um relacionamento legal com ex. A gente se dá tão bem, então por que não? Deu muito certo”, declarou a carioca ao receber a reportagem do iGay em seu “estoque”.

Sem poder evitar trocadilhos infames - nossa conversa foi totalmente tomada por eles -, Marcia usou sua bagagem profissional em email marketing e e-commerce para suprir um buraco no mercado das sex shops voltadas para o público gay feminino. Já Verônica apelou para seu conhecimento em engenharia da computação para colocar a página no ar e hoje elas dedicam grande parte do tempo nos cuidados com seu “filho virtual”.

Mesmo que fosse a proposta inicial das empresárias, o theLvibe não se restringiu às meninas lésbicas. “O que vai determinar que é um site exclusivamente gay? Uma bandeira de arco-íris? Não sei a quantidade de mulheres hétero que entram no site. Já vi homens comprando produtos para suas mulheres. O mais legal aqui é o fato de nós sermos gays e podermos oferecer atendimento especial para esse público.”

Tem coisas que eu não gosto pessoalmente de usar, então nesses casos eu me aconselho com quem gosta (Marcia Soares)

E é esse o grande diferencial. Tanto Marcia quanto Verônica se dispõem a conversar, esclarecer, aconselhar e dar especificações técnicas sobre os produtos. A thelvibe conta com uma equipe que tem disponibilidade - e conhecimento - para explicar todo e qualquer detalhe aos compradores. “Eu, como consumidora, sou muito chata. O Rio é carente de bom atendimento, por isso faço questão de responder pessoalmente os emails que recebemos. Os assuntos relacionados a uma sex shop ainda são muito complicados de discutir. Você usa o senso de humor, mas não pode escrachar muito, porque a pessoa pode ficar com vergonha. Tem que deixar o cliente ir falando”, resume.

Ninguém precisa ser tarada ou pervertida para comprar produtos de sex shop. Eu não fico fazendo sexo o dia inteiro, ao contrário do que muitos possam pensar (Marcia)

No fim, outra vantagem dos compradores é poder contar com a opinião pessoal das donas, que se preocupam em testar - ou pedir opinião para amigos de confiança - sobre os produtos oferecidos. "Tem coisas que eu não gosto pessoalmente de usar, então nesses casos eu me aconselho com quem gosta", explica Marcia. “O cuidado em colocar as medidas do produtos e suas funcionalidades é importante. O fornecedor costuma passar no máximo o tamanho da caixa . É complicado você comprar um vibrador sem saber o tamanho, como ele funciona, o que faz. Faz diferença se ele tem 10 cm ou 20 cm, né? , brinca Marcia, que garante que não há motivo para constrangimento no comércio de produtos para sexo. "Ninguém precisa ser tarada ou pervertida para comprar produtos de sex shop. Eu não fico fazendo sexo o dia inteiro, ao contrário do que muitos possam pensar" (risos).

Marcia Soares comanda uma sex shop exclusiva para lésbicas
Ricardo Ramos
Marcia Soares comanda uma sex shop exclusiva para lésbicas

Ninguém precisa ser tarada para consumir

Mas o constrangimento é inevitável. Até por isso, Marcia considera uma vantagem o fato de a loja ser virtual. Em se tratando desse ramo de atuação, o ambiente de uma loja física pode ser ainda mais constrangedor. "Muita gente ainda resiste a entrar em sex shop, então o contato virtual é melhor que ao vivo. Dá para ver que a pessoa fica envergonhada, tem muita gente que cria email falso só para mandar dúvida pra gente”, revela. 

A troca de mensagens com as consumidoras permitiu que a carioca fizesse uma análise curiosa do seu público. “Depois que começamos a receber muitos pedidos de mulheres de mais de 50 anos, que estavam fazendo a primeira compra em uma sex shop, fiquei impressionada pensando que muitas mulheres talvez nunca tenham se masturbado na vida. Talvez elas nunca tenham tido um único orgasmo. E eu estou aqui, disposta a explicar passo a passo o produto que ela quer levar. Dou sempre muitas opções até ela escolher”, detalha.

Já me perguntaram se o patinho vibrador poderia ser usado por uma senhora de 80 anos. E uma menina contou que ela e a namorada eram virgens e queriam dicas de como fazer na primeira vez. Você se sente muito importante, entende? Viramos quase psicólogas (Marcia)

E afinal, Marcia, o que querem as mulheres? “Vibrador é ‘o’ nome do produto da sex shop. Temos muitos outros, mas ele é o principal. Umas preferem uma prótese para penetração apenas, outras preferem o vibrador tradicional, outras querem o bullet que vibra e tem o estímulo clitoriano ao mesmo tempo, outras preferem só o bullet sem penetração… É uma infinidade. Por isso, a preferência é muito variada."

E quais foram as perguntas mais engraçadas? “Já me perguntaram se o patinho vibrador poderia ser usado por uma senhora de 80 anos. E uma menina contou que ela e a namorada eram virgens e queriam dicas de como fazer na primeira vez. Você se sente muito importante, entende? Viramos quase psicólogas.”

TOP 10 DOS PRODUTOS PREFERIDOS PELAS LÉSBICAS

1. Cinta com prótese de pênis (material human skin): “É o produto mais lésbico do mundo, vende muito bem. O material é bem legal mesmo.” R$ 119,00

2. Vibrador Rabbit : “Sabe aquela música que fala da ‘máquina de sexo…’? É isso!” R$ 139,00

3. Hello Touch (vibrador de dedo com visual Apple): “O visual é bem clean e é muito eficiente.” R$ 499,00

4. Vibrador wirelless com controle remoto , pode ser controlado à distância: “Dá para deixar na calcinha ou efetuar a penetração. Vale o gosto do cliente.” De R$ 89,00 a R$ 499,00

5. Ball Cat (gel de sensações): “Ele esquenta, esfria… E tem o melhor trocadilho no nome para gel!” R$ 9,90

6. Bolinhas de pompoarismo Ben Wa : “Elas são pesadinhas e facilitam o exercício.” R$ 19,90

7. Patinho de borracha: : “São fofos demais. Toda mulher deveria experimentar”. R$ 59,90

8. Vibradores camuflados de blush e rímel . "Divertidos." R$ 44,90  

9. Gato da série “Alice no País das Maravilhas” : “Além de tudo, a embalagem é linda. Vale a coleção.” R$ 269,00

10. Sqweel (oral sexy toy) : “É o famoso brinquedo das línguas. Já é batido, mas quem nunca usou deve usar.” R$ 399,00


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.