Wentworth Miller disse que não pode visitar um país que nega o direito de viver e amar para pessoas homossexuais como ele. Veja mais famosos assumidos na galeria


Famoso por estrelar a série "Prison Break" entre 2005 e 2009, o ator Wentworth Miller , 41, se assumiu homossexual no fim da tarde da última quinta-feira (21), ao enviar uma carta (leia a integra abaixo) ao Festival Internacional de São Petesburgo, se recusando a participar do evento de cinema na cidade russa.

CURTA O IGAY NO FACEBOOK

"Como homem gay, eu devo recusar", escreveu Miller, num claro protesto contra o tratamento preconceituoso que as autoridades da Rússia têm reservado aos homossexuais.

“Não posso em sã consciência participar de um evento comemorativo organizado por um país onde as pessoas como eu têm sistematicamente seus direitos básicos de viver e amar abertamente negados”, prosseguiu ele.

Na carta, o ator ainda demonstrou sua preocupação com a política do governo do presidente russo Vladimir Putin para a comunidade LGBT. "Estou profundamente preocupado com a atitude e o tratamento dado a homens e mulheres homossexuais por parte do governo russo", declarou. 

A atitude de Miller foi parabenizada por  Wilson Cruz , presidente da Liga Lésbica e Gay Contra a Difamação (GLAAD na sigla em inglês). "Wentworth foi ousado e enviou uma mensagem poderosa para os russos LGBTs, que estão enfrentando extrema violência e perseguição. É uma afirmação de que eles não estão sozinhos”, defendeu Cruz. 

Wentworth Miller para festival russo:
Getty Images
Wentworth Miller para festival russo: "Como homem gay, eu devo recusar"


Para o porta-voz , mais pessoas de todo o mundo devem continuar a se manifestar, e celebridades e empresas devem seguir a atitude corajosa do ator e condenar abertamente a lei antigay da Rússia.

Além de “Prison Break”, onde viveu o personagem Michael Scofield, Wentworth fez participações em várias séries de TV, como "House" e "Law & Order: SVU". No cinema, sua última atuação aconteceu no filme "Resident Evil: Afterlife" (2010). 

Outro trabalho conhecido dele foi como par romântico da cantora Mariah Carey no clip “We Belong Together”.

Caro sr. Averbakh:

Obrigado pelo seu convite gentil. Como alguém que teria o prazer de visitar a Rússia no passado e que também pode reivindicar um grau de ascendência russa, eu ficaria feliz em aceitar e em dizer 'sim'.

No entanto, como um homem gay, eu devo recusar. 

Estou profundamente preocupado com a atitude e com o tratamento dado aos homens e mulheres homossexuais por parte do governo russo. A situação não é de forma alguma aceitável. Não posso em sã consciência participar de um evento comemorativo organizado por um país onde as pessoas como eu têm sistematicamente seus direitos básicos de viver e amar sendo abertamente negados. 

Talvez, quando as circunstâncias melhorarem, eu poderia ficar livre para fazer uma escolha diferente.

Até lá, então.

Wentworth Miller


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.