Pesquisa da Universidade da Carolina do Sul revela que a percepção do público não se altera quando ele tem conhecimento da orientação sexual do ator

Não é uma regra, mas na TV e no cinema reza a lenda que ao assumir sua homossexualidade atores deixam de ser convincentes em papéis de heterossexuais. Um estudo da Universidade de Clemson, na Carolina do Sul (EUA), promete desmistificar essa convenção do meio artístico.

Segundo a pesquisa, o fato de atores serem assumidamente gays não interfere na percepção do público quando eles interpretam personagens heterossexuais.

CURTA A PÁGINA DO IGAY NO FACEBOOK

"Pesquisas antigas mostravam que as pessoas tendiam a perceber uma conexão direta entre orientação sexual e os papéis pré-estabelecidos de gênero, especialmente na indústria do entretenimento", contou  Paul Merritt , professor de psicologia e coordenador da pesquisa.

"No entanto, descobertas recentes indicam que conhecer a orientação sexual de um ator não interfere necessariamente na percepção que a atuação dele tem do público e nem obriga que eles interpretem estereótipos de gays e lésbicas".

Publicado pelo jornal científico Psychology of Popular Media Culture, o estudo teve a participação de 400 pessoas, que foram apresentados a um perfil no Facebook de um ator fictício, onde a sua orientação sexual ficava evidente.

Logo em seguida, os participantes do estudo viam um vídeo desse ator e avaliavam o seu desempenho. O estudo mostrou que ter consciência da orientação sexual do ator não interfere na credibilidade do desempenho dele como personagem hétero.

Rock Hudson passou a carreira
Divulgação
Rock Hudson passou a carreira "dentro do armário" para não perder sua carreira de galã

O já falecido astro Rock Hudson é um dos casos mais famosos de atores que não saíram do armário com medo de perder os papéis de galã.

Mas a TV americana atual dá sinais que essa sina pode estar mudando. Na comédia “How I Met Your Mother”, exibida no Brasil pela FOX, o assumidamente gay Neil Patrick Harris vive um garanhão com uma coleção de namoradas.

O ator Matt Bomer vive uma situação semelhante. Galã da série “White Colar”, também da FOX, ele vive um personagem heterossexual.

Mas nem tudo são flores. Fora do armário desde 1989, o britânico Rupert Everett não aconselha jovens astros gays a se assumirem. "Provavelmente, sou mais feliz do que meus colegas enrustidos. Mas desaconselho qualquer ator a sair do armário", disse Everett numa entrevista ao The Guardian, em 2010.